Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Leaderboard


Popular Content

Showing most liked content since 08/10/2018 in all areas

  1. 14 points
    Algumas novidades no cantinho. Suportes de PF (desenho próprio): Novo (velho) moinho (Zwanger Favorite 2AT) de +/- 60 anos. Ao lado dele o Bravo Debut parece pequeno: E um bule elétrico da AliExpress:
  2. 7 points
    Olá, pessoal. Acabei de voltar de uma viagem de 12 dias por Bogotá, capital da Colômbia, e venho compartilhar uma lista de cafeterias que visitei. Algumas delas foram sugeridas por @João Vitor Ribeiro e @Santiago Luz , e várias outras por Faber, um barista colombiano que conheci por lá. Ao todo, foram oito cafeterias, distribuídas por diferentes bairros da cidade, como Centro, Zona G, Chicó e Zona T. Em algumas demorei bastante, em outros passei rapidamente. Nas que passava rápido, tomava um espresso, quando tinha mais tempo, V60. Pude experimentar cafés variados em espaços de diferentes portes e preços. Lamento apenas não conseguir descrever a multiplicidade de sabores que senti. Nessas cafeterias, o espresso saía entre 4 e 8 mil pesos (cerca de R$ 5 a 10, na conversão em 12/08/18), os filtrados pelo dobro do valor e os pacotes de 250g, entre 15 e 50 mil pesos (R$ 20 a 50). É muito simples visitar essas cafeterias, mesmo para viagens curtas. Apesar de não contar com sistema de metrô (eles tem um sistema de Transmilenio), Bogotá, assim como outras capitais da América Latina, tem uma rede imensa e super barata de táxis. Então, é fácil se organizar para se deslocar pela cidade e aproveitar as cafeterias pelos diferentes bairros. Parque de la 93 # Azahar O local é bonito, agradável, o café também, mas o atendimento deixa a desejar. Fui duas vezes nessa cafeteria, mas na segunda acabei cancelando o pedido pois o espaço estava muito cheio (também servem almoço), barulhento e nosso pedido não chegava nunca. Na verdade, nem sei se a coffee-girl chegou a anotar nosso pedido. Na primeira ida, tomei uma “cata de café”, de 10 mil pesos, e curti; vem com três xícaras com cafés de origem da temporada para se provar a variedade de sabores do café colombiano. Por conta do atendimento, não voltarei lá se retornar à Colômbia. Cata de café, no Azahar Cata de café, Azahar Zona T # Colo Café Cafeteria agradável de um espaço de co-working, bem no furdunço da Zona T, região repleta de lojas e restaurantes. Os baristas, Marcos e Daniela, são super simpáticos. No espaço tem um torrador então sempre tem café novinho, de 2 ou 3 dias, para comprar. Eles trabalham com três tipos de cafés, que podem ser preparados para espresso ou coado. Esperar o café era uma das melhores experiências de estar lá. Sentado no balcão, além de poder acompanhar o processo, havia uma suave brisa fria que vinha da porta de entrada e espalhava o aroma do café que estava sendo moído por todo o ambiente. Fui umas três vezes nessa cafeteria, era meu ponto de refúgio enquanto minha namorada se perdia nas lojinhas da região heheh. Uma curiosidade adicional que chamou a minha atenção foi o V60 ser servido em um Becker de laboratório. Prático, funcional, e barato. Já incorporei a ideia ao meu instrumental do café. V60, no Colo Café Torrador, no Colo Café Um dos cafés do Colo Café, disponível para sentir o aroma antes de provar Chicó # Kiri café Uma cafeteria pequenininha perto de onde fiquei hospedado, em torno da calle 90, no bairro Chicó. Lá também sempre tem café bem novinho torrado em um "micro torrador" (vide foto). O café é bem leve e suave e o preço maravilha, cada pacote de 250g saiu em torno de 20 reais. Torrador, Kiri Café # Café 18 Junto com a Azahar é a mais ampla das cafeterias que visitei. O ambiente é agradável e amplo, silencioso e dispõe de variados cafés à venda. Lá pude experimentar o Geisha e trazer um pacote pra casa (por um total de solamente R$ 54). O inconveniente dessa cafeteria é apenas que por qualquer motivo ela fecha - se está tarde, fecha, se é feriado, fecha, se é cedo, fecha, se é domingo, fecha, se está calor, fecha, se está frio, fecha :-) então tem que estar atento para não perder a visita. Como me hospedei pertinho dela, sempre passava em frente. Geisha, no Café 18 Centro # Contraste CoffeLab Essa cafeteria fica bem no centro da cidade, ideal para se visitar antes ou depois do Museo del Oro. Parece não ter muito tempo de inaugurada. É bem pequena, basicamente um balcão e duas mesas, mas vale a pena visitar. A barista é muito simpática e de vez em quando eles promovem labs de degustação. Havia várias opções de filtrado, mas acabei tomando apenas um espresso pois tinha acabado de passar na cafeteria do Museo del Oro. Jamile e eu, no Contraste CoffeLab # Café San Alberto Localizada na parte inferior do próprio Museo del Oro. Só vi um único tipo de café, um Caturra, possível em diversos métodos (V60, sifão, espresso, prensa, etc.). Para minha curiosidade, a temperatura era a mais baixa entre os que tomei em Bogotá. O sabor era bem bom e me lembrou um pouco o do Kiri. Na saída, ainda encontrei essa oferta (foto abaixo) bem na porta do museu, será que valia à pena provar? Máquina de espresso, moedor e tudo mais. Acabou não saindo na foto, mas, ao lado, havia ainda um vendedor de pacotinhos de "hormigas rabudas tostadas" (tanajuras torradas) - será que harmonizaria com o café? ehehe O que sobrou do espresso, no San Alberto Café na rua Zona G # Café Cultor Apesar de estar na minha lista, acabei me batendo com essa cafeteria por acaso. Estávamos na região da Zona G e um pombo surgiu de um lugar que até hoje não descobrimos.. se saiu de cima, de baixo, se foi espírito, alucinação; sabemos apenas que ele soltou uma metralhada na calça da minha namorada que pegou do tênis até quase o joelho. Situação, né? Fomos procurar um lugar pra comprar uma meia. Na verdade, a vontade dela era mesmo comprar meia, tênis, calça, e por que não mais um casaco, né? Como nessa região não tinha nada disso, fomos então pelo menos tentar encontrar a tal meia. Nesse caminho, encontramos a Cultor. Por conta das circunstâncias, a passagem por lá acabou sendo bem rápida; tempo apenas para saber que a recepcionista, Camila, falava português e que o café deles é muito bom! Pedi que o barista me indicasse dois para trazer (vide nas fotos). Mais um café que não deu tempo tirar uma foto :-), Café Cultor Bairro Teusaquillo # Tesla Té y Café A melhor experiência de café que tive em Bogotá. Os dois donos são muito simpáticos e passamos um bom tempo conversando. Tomei um espresso com um sabor acentuado de panela, algo local como rapadura/melaço de cana com cravo e canela. Faber, o barista e namorado de uma dos donos, tem grande entusiasmo em falar sobre café e ensinar. Ele nos apresentou diversos tipos de processos de grãos, como descascado, lavado, etc, falou de eventos (em inglês) que realiza para mostrar às pessoas as diferenças de sabor entre vários cafés, etc. De tempos em tempos, o espaço promove também gigs com bandas locais- único lugar que visitamos com essa característica. Ele ficou surpreso com a receita básica de Aeropress do Lisboa Santos que passei pra ele. Faber (à esq.), Jamile e eu, no Tesla Té Y Café Equipe do Tesla Té Y Café e eu Amostras de grãos em diferentes processos, no Tesla Té Y Café Aeroporto # Gourmet Café Na espera pelo vôo dei uma volta no terminal e acabei encontrando um café com uma máquina “anos 30” que não saberia dizer qual é (terminal de embarque internacional 28). O café era do Amor Perfecto. Durante a viagem, alguns baristas me falaram que esse café era apenas OK, em comparação ao que podia encontrar em Bogotá, mas acabou me surpreendendo, talvez pela baixa expectativa, ou talvez porque gostei mesmo. Máquina de espresso da Gourmet Café, no aeroporto # Free Shop Ainda no aeroporto, me chamou atenção uma La Pavoni no free shop. Não sei se estava ali para uso ou apenas para decorar. Só lembrei do @Fogo ruivo quando vi :-) La Pavoni e moedor Bunn no Free Shop # Loja da Britt Ao ver o moedor na loja da Britt, pensei “o Mimoso deles”. Hehehe Moedor manual na loja da Britt do aeroporto de Bogotá Pela cidade inteira # Starbucks e Juan Valdez Normalmente não tomo café nesses lugares, mas no frio de Bogotá descobri que tomar chocolate quente pode ser uma opção. # Donkin Donuts Infelizmente só escrevo esse texto para falar mal. Como ocorreu no Starbucks e Juan Valdez, pedi um chocolate quente para lidar melhor com o frio e sentei em uma mesa bem perto do vaporizador da máquina de espresso. O quiosque estava vazio e mesmo assim a funcionária nunca limpava o bico do vaporizador, não importava se estivesse vaporizando leite puro, com chocolate, ou o que fosse. Que nojo, viu? Meu kit de viagem em ação Resultado das compras - 3kg em 12 pacotes É isso aí, pessoal. Bogotá é uma cidade incrível, repleta de opções e com poucos turistas. O povo colombiano é acolhedor e sempre disposto a ajudar. Me movimentei pra cima e pra baixo e não me senti inseguro em nenhum momento. Foi minha primeira vez no país mas a quinta da minha namorada, que chegou a morar por alguns meses em Manizales, no Eje Cafetero. Segundo ela, sentiu uma grande diferença dessa viagem para as outras, realizadas há cerca de 15 anos. Comentou que, em sua primeira vez em Bogotá, o clima de tensão era sempre presente.. exército fortemente armado nas ruas por todas as partes, revistas constantes de bolsas/mochilas e veículos por todos os lugares e uma certa estranheza (não necessariamente ruim.. era como se fossemos ETs) com a presença de estrangeiros. Nessa viagem, nos deparamos apenas com revistas na entrada do Andino, pequeno shopping da Zona T, e olhe que quando estávamos lá, o período coincidiu com o dia de posse do novo presidente do país. Tudo na paz. A única chaticezinha básica é a enrolação de alguns taxistas. Acabamos deixando de pegar na rua e usamos o app "Taxis Libres". Apesar de ruim, é o melhor e mais seguro app do país. O Uber é proibido por lá. A la orden, que disfruten! Por fim, essa é a lista completa que Faber, barista da Tesla Té Y Café, me recomendou. Vale à pena conferir! EDIÇÃO: Essa lista aparece truncada no Tapatalk, mas está ok na página web do fórum Item Nome Endereço Zona Subzona 1 Jon Dech Café K 27 # 5-38 Candelaria No aplica 2 Café Rec K 6 # 7-08 Candelaria No aplica 3 Bogotaza Café K 6 # 7-16 Candelaria No aplica 4 Café Ibañez "3A" C 10 # 3-61 Candelaria No aplica 5 Café Unión C 10 # 2-96 Candelaria No aplica 6 Cafecultor "BLAA" C 11 # 4-14 Candelaria No aplica 7 Tintoreria Café K 5 # 12-08 Candelaria No aplica 8 Café de la Reserva K 3 # 12-58 Candelaria No aplica 9 Café para Dos C 12c # 3-12 Candelaria No aplica 10 Arte y Pasión Café "Presidnecia" C 10 # 8-87 Candelaria No aplica 11 Valetto C 12Bis # 6-57 Candelaria No aplica 12 Candelaria Café K 7 # 12a-37 Candelaria No aplica 13 Café Ibañez "7A" C 12b # 7-12 Candelaria No aplica 14 Café San Alberto "Museo.Oro" C 16 # 5-41 Santafe No aplica 15 Café Chan Chan C 16 # 5-24 Santafe No aplica 16 Arte y Pasión Café C 16 # 7-76 Santafe No aplica 17 Contraste Coffee Lab K 3 #12c-90 Santafe No aplica 18 Tacoa Café K 3 #12d-60 Candelaria No aplica 19 Magola Buen Día K 3 # 17-60 Candelaria No aplica 20 San Francisco Café C 19 # 3a-37 Santafe Aguas 21 Varietale "Andes" DIA 20a # 00-06 Santafe Aguas 22 Café Origami K 4a # 26c-04 Santafe Macarena 23 Café Unión K 5a # 26c-62 Santafe Macarena 24 Wisdom Coffee K 13 # 28-17 Santafe Centro Internacional 25 Soca C 28 # 13a-24 Santafe Centro Internacional 26 Catuai C 31 # 13a-51 Santafe Centro Internacional 27 Café Tambora K 5 # 34-65 Santafe Parque Nacional 28 Soca "Colgas" C 37 # 8-43 Santafe Parque Nacional 29 Café Nicanor C 29a # 34a-33 Teusaquillo No aplica 30 Xue X Café C 26 # 103-09 Aeropuerto No aplica 31 Quipile Café de Origen K 24 # 42-71 Teusaquillo No aplica 32 Bogotá Coffee Roasters C 43 # 19-01 Teusaquillo No aplica 33 Tesla Té y Café K 20 # 50-09 Teusaquillo No aplica 34 Café Mundano DIA 40 # 7-40 Chapinero No aplica 35 Varietale "Javeriana" C 41 # 8-43 Chapinero No aplica 36 Macondo C 53 # 6-11 Chapinero No aplica 37 Roots Café C 57 # 7-51 Chapinero No aplica 38 Café Dos Campos K 9 # 57-77 Chapinero No aplica 39 Vigo Café C 61 # 3b-08 Chapinero No aplica 40 Café Lavé C 65 # 3b-57 Chapinero No aplica 41 Amor Perfecto K 4 # 66-46 Chapinero No aplica 42 Grazia C 69 # 5-04 Chapinero No aplica 43 Cafecultor "Contenedor" C 69 # 6-20 Chapinero No aplica 44 Kaffeina K 9 # 69-32 Chapinero No aplica 45 Juan Valdez Origenes C 70 # 6-09 Chapinero No aplica 46 Cafecultor "Casa" C 70a # 9-44 Chapinero No aplica 47 Cafecultor "Wilborada" C 71 # 10-47 Chapinero No aplica 48 Bourbon Coffee Roasters C 70a # 13-83 Chapinero No aplica 49 Devoción K 7 # 72-41 Chapinero No aplica 50 Café de la Fonda K 14 # 78-52 Chapinero Lago 51 Catuai K 12a # 79-25 Chapinero Lago 52 90° Centigrados Café K 14 # 79-62 Chapinero Lago 53 IL Pomeriggio "c.c. Andino" K 11 # 82-01 Chapinero Lago 54 Colo Coffee K 13 # 83-19 Chapinero Lago 55 Café León K 14 # 85-61 Chapinero Lago 56 Amor Perfecto K 11 # 93a-43 Chapinero Chico 57 Pasión Arabica C 93a # 13-46 Chapinero Chico 58 Level One Hub C 93b # 13-91 Chapinero Chico 59 Azahar Coffee C 93b # 13-92 Chapinero Chico 60 Kiri Café C 95 # 14-07 Chapinero Chico 61 Café 18 K 11b # 96-54 Chapinero Chico 62 Cowo Cwoffee C 98 # 8-37 Chapinero Chico 63 Coffee Lovers K 15 # 102-27 Usaquen No aplica 64 Café del Eje C 109 # 15-28 Usaquen No aplica 65 La Strega Tea & Coffee K 7 # 115-60 Usaquen No aplica 66 Café San Alberto C 117 # 6a-47 Usaquen No aplica 67 Amor Perfecto C 119B # 5-37 Usaquen No aplica 68 Catación Pública C 120a # 3a-47 Usaquen No aplica 69 Abadia Café by Doppio C 119 # 14a-26 Usaquen Unicentro 70 Dislatte K 19 # 135-29 Norte Autopista Norte 71 Maria Coffee K 46 # 152-46 Norte Mazuren 72 Let it be Café C 166 # 17-59 Norte Toberin 73 Café 1800 mt K 7 # 180-75 Norte Codabas
  3. 7 points
  4. 7 points
    Cumulativo elétricos: q3, elétricos: Algumas comparações de mós: Contribuição, elétricos;
  5. 7 points
    Cumulativo manuais: q3 manuais: Cumulativo e q3, manuais econômicos: Contribuição manuais:
  6. 6 points
    Pessoal participo do grupo a mais de dois anos, mas só lendo e aprendendo mesmo, gostaria de compartilhar minha experiência de compra de um Morador Baratza sette 30 AP. Me mudei recentemente para o Paraguai, moro em Ciudad del Este divisa com Foz do Iguaçu-Pr. Pois bem usei uma empresa de redicionamento de mercadoria com loja na cidade que moro, CDE box. Paguei no site https://www.myespressoshop.com/collections/espresso-grinders/products/baratza-sette-30-ap-coffee-grinder com cartão de crédito, paguei 249.00 dólares mais 60 reais de IOF, ficou em torno de mil reais, mais frete aéreo de 93.00 dólares, (18.00 dólares o kilo)em torno de 360.00 reais, custo final de 1.360.00 reais somente, já que aqui não se paga os absurdos 60 por cento. Próxima compra está nos planos Rancilio Silva, trazer por navio, ( custa 5 dólares o kilo), a grande dúvida se já peço com ou sem Pid, tenho que ter mais conhecimento a respeito, se alguém quiser me esclarecer mais a respeito. Acho que fica bem em conta, uma ideia aos amigos, que porventura queiram vir fazer compras em Ciudad del Este, podem se programar para na ocasião retirar a mercadoria também, qualquer dúvida estou a disposição. Enviado de meu XT1635-02 usando o Tapatalk
  7. 6 points
    Estou devendo esse post já um tempão. A ideia inicial foi produzir um texto mais abrangente explicando todos os passos do teste detalhadamente, mas infelizmente não tenho o tempo disponível no momento para fazer isso. Então acho válido já postar os resultados e deixar as explicações para depois (incl. para os participantes do teste do CdC explicarem). O que fizemos? Usarmos um protocolo padronizado (ajustar a moagem para que 10g misturados em 200g de aqua quente num pitcher e rapidamente transferidos para um v60 descem em 2min). O café (Abelardo, um café bem gostoso e doce) foi doado pela Roast (muito obrigado meninos!). Eu usei o CamSizer XT da Retsch/Horiba para medir a granulometria das amostras, e vou mostrar os dados como volume cumulativo, q3 (a 1a derivada da curva cumulativa) e no formato Mahlkönig, que mostra a contribuição para o volume total da amostra. Então vamos lá.
  8. 6 points
    Olá pessoal! Está é minha primeira participação nesse fórum, digo que eu encontrei esse forum por acaso e estou muito contente com toda a informação que estou encontrando! Eu dou muito valor a tudo que fazemos em casa, sem passar pela industria. Vejam minha primeira vez que torrei café em casa! https://youtu.be/b3R5k_WQn_Q
  9. 5 points
    Eu tomei um ontem, originado de Bali. Caríssimo. Mas como experiência foi muito válido. Foi sim o melhor café que já tomei na vida. Acidez ímpar, aroma caramelizado ao extremo. O sabor também é caramelizado. Notei um retrogosto persistente que me remeteu a frutas. No final da experiência achei o café muito além de meu paladar iniciante, ou seja, foi como andar numa Ferrari estando eu acostumando a andar de fusca ehehehhe . Mas me marcou muito tudo. Daqui a uns meses quando tiver me aprofundado mais no mundo do café ariscarei repetir a experiência. Detalhe, esse café foi tomado em Fortaleza-CE. Numa loja de venda e assistência técnica de máquinas de expresso cujo o dono é da República Tcheca. Mas eles também servem expressos lá (não como foco principal). Eles também vender cafés especiais importados (Etiópia, indonésia, Quênia.. etc). O nome do estabelecimento chama-se Café Company. O dono me falou também que está cogitando a possibilidade de fazer a torra de cafés importados lá mesmo e revender para o Brasil.
  10. 4 points
  11. 4 points
    Essas empresas fora de lei... http://www.lojabondinho.com.br/catalogsearch/result/?q=ácido
  12. 3 points
    Opa galera, fica aqui minha recomendação pro Café Flor de Março. https://www.instagram.com/cafeflordemarco/ Tenho ele na cafeteria desde o primeiro mês e até o momento, todos gostaram bastante. É uma torrefação, se não estou enganado não cultivam café. Compram cafés de produtores daqui do ES e todos que provei até o momento gostei bastante, ficando destaque para o de 87 pontos um catuaí vermelho de Brejetuba e o novo de 86 um catimor de afonso cláudio. Acho que uma galera aqui do fórum já comprou dele
  13. 3 points
    Lendo várias tópicos e só observando, sobre essa v60....vários avatar com a descrição do equipamento com a v60. Eu fiquei supercurioso de como seria essa cafeteira tão especial, pois conheço, moka, prensa francesa, coador de pano, expresso...mas nunca tinha ouvido falar dessa V60. Tenho que conhecer esse equipamento...deve ser coisa que só tem no primeiro mundo!! Fui pesquisar e descobri.... PÔ, MAIOR MELITÃO...KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!!!!!!!!!!!!!!!!!
  14. 3 points
    O café do Mário é uma ótima forma de começar a curtir bons cafés. Ele responde rapidamente às solicitações, tem bom preço e qualidade muito boa.
  15. 3 points
    Com todo respeito, essa é mais uma daquelas tralhas que vai pro armário. Suporte direto na xícara ou bule é imbatível Kkkkkkkkkkkk
  16. 2 points
    Café "Don Álvaro", do Café Cultor, de Bogotá, Colômbia. Torra de 13 dias. (foto: @Flaze)
  17. 2 points
    Fala Rodrigo. Cara, se tiver condições, invista logo em moedor top. A diferença é muito grande para qualquer método de preparo. O Bravo é uma excelente escolha.
  18. 2 points
    Conseguiu ir em bastante, infelizmente das que eu citei só consegui ir uma vez, mas os cafés são excelentes, esse gesha do café 18 eu custei para não acabar em um dia, que café bom. (O azahar tive a mesma impressão, mas no dia o café em si estava bem bom, então fez valer a visita) Faltou só o Varietale, fica uns 5 min do contraste, mas já tem um motivo para voltar a Colômbia kkk Para quem não teve oportunidade de conhecer ainda, é um país barato de se visitar, já vi passagens por 900 ida e volta, e o custo diário dificilmente passa dos 100 reais, isso indo em lugares bons. Enviado de meu moto x4 usando o Tapatalk
  19. 2 points
    @Murilo Lins que legal q esta curtindo a viajem! Vivo em buenos aires a 8 anos. Vc tem que ir sim ou sim no Negro cueva de cafe (tem 5 sucursais) e no All Saints cafe (esse tem 2 acredito). São de longe os melhores da cidade, com os melhores grãos. Se for comprar grão, compre Puerto Blest, tem no Negro e nas cafeterias mais "tops", é o melhor torrador do pais.
  20. 2 points
    Ácidos e bases atacam o cromo sim, não faça isso. O cítrico, em pequenas concentrações, não vai arrancar tudo, mas cada vez que se limpa cromado com sapólio, ácido etc, vai diminuindo a vida dele. Ideal é manter limpo e talvez usar cera de carnaúba pra proteger e diminuir a oxidação (que inevitavelmente demandará limpar e remover um pouco do cromo). Não aconselho imergir os terminais da resistência... O que faço é usar um recipiente de vidro no qual a resistência fica submersa até antes dos terminais, uso concentração maior pra remover a calcificação, mas se houver tratamento no tubo de cobre da resistência pode ser que remova um pouco também. Vá com concentração baixa primeiro. Caso entre umidade nos terminais, grande chance de haver "fuga", pois a umidade faz com que o pó que preenche o tubo se torne condutor, e aí vai fase pro terra... Uma vez salvei uma caldeira da Gaggia (com a resistência por fora) botando no forno por um tempo, mais ou menos 150°C.
  21. 2 points
    Bacana pessoal. Vou experimentar os dois então.
  22. 2 points
    Hoje foi dia de conhecer a Lab Tostadores de Café. Uma boa Cafeteria de Buenos Aires que fica no bairro de Palermo. Possuem cafés de várias partes do mundo e extraem em diversos métodos. Fui de um espresso Colombiano com boa acidez e bem redondo na xícara. Depois tomei uma Aeropress de Ruanda muito gostoso. Possuem diversos cursos disponíveis e torram o próprio café em uma central que distribui periodicamente para as unidades. Os pacotes são mais baratos que os do Café Registrado, mas as xícaras na mesma proporção de preço. Muito boa Cafeteria, mas não melhor que do que a Café Registrado, na minha humilde opinião.
  23. 2 points
    É isso @helderbarreto ! Pegaste na veia, fico feliz que alguém entende o que sinto rs. O espresso é legal, é saboroso, como disse tomei uns bons que me comprovaram isso, às vezes tomo espressos memoráveis também (bem às vezes! rs), mas fui surpreendido pelo sabor que achei nos coados, mais sutilezas... Em outras palavras, mais gostosos rs
  24. 2 points
    Engraçado que deixei para comentar depois nesse tópico e o tempo passou e esqueci. Rsrsrs. Compartilho bastante com esse sentimento do João. Quando conheci esse fórum de discussões eu já havia comprado uma máquina de espresso. Era a Oster Prima Latte. Por que a comprei? Porque queria tomar um café de manhã "forte", cheio de cafeína, para me acordar pelo resto do dia. Essa era minha concepção de espresso. Na verdade eu nem sabia o que era espresso. Eu comprei a máquina pensando que era um método rápido de colocar o pó e fazer 200ml de café. Depois que comprei é que eu fui pesquisar. Aí conheci os conceitos de brew ratio, tempo de extração, torra clara, média e escura. Foi aí que entendi que os 200ml de espresso não eram a mesma coisa de 200ml de um Melitta. Quanta ignorância de minha parte. Como entrei no fórum buscando informações de como melhorar o café de minha máquina, acabei sendo tendencioso (sem querer) na leitura dos tópicos. Descobri que precisava comprar café de melhor qualidade, que tinha de moer, comprei um hario mini, depois um Tramontina. Comecei a ver a limitação de minha máquina. Foi aí que decidi comprar uma máquina de espresso melhor: a Breville. Sempre à procura de um espresso melhor. Às vezes acertava a mão, mas na maioria das vezes saía uma bebida equilibrada, mas nada surpreendente. Foi aí que minha filha nasceu e pela proximidade do meu canto do café com seu quarto, passei a não usar a máquina de espresso de manhã. Só então decidi dar uma chance aos métodos coados. A essa altura já tinha ouvido falar do Aeropress e V60. Por pura ignorância achava-os métodos inferiores. Aprendi muitos conceitos valiosos depois de me interessar por eles e então percebi que diversas vezes me pegava extremamente feliz por tomar uma bebida muito saborosa. Aí que percebi que estava conseguindo no coado perceber sutilezas que não conseguia no espresso. Não satisfeito comprei um bravo Mini, um tamper dinamométrico, um portafiltro naked e tentei insistir no espresso. Sim, meus shots passaram a ser muito consistentes , reprodutíveis, alguns deliciosos, porém ainda assim com uma frequência menor que nos coados. Dessa forma entendi que comecei pelo método mais caro e difícil de domar. Não é uma questão de não ter acertado a mão nas extrações, mas é que elas não me parecem tão deliciosas quanto certos coados. Diga-se de passagem que às vezes um grão que fica ruim no Aeropress fica excelente no V60 e vice versa. E também existem expressos que batem outros coados que faço. Mas eu compartilho da opinião do autor desse tópico.
  25. 2 points
    @Freedom Force Tudo bom? Concordo com a classificação do Mário de realmente só começar no Chocolate; só experimentei o chocolate uma vez, não compro dele para mim só para um amigo quando pede. Fico sempre no "Amendoado" e no "Frutado", nessas opções que uso para espresso e coado não tenho reclamação! Depois dê seu depoimento! Abraço.
  26. 2 points
    Pelo preço não ser alto eu recomendaria tu pegar tanto o amendoado quanto o frutado pra decidir. Não acho alta a acidez da torra frutada do Mário, é torra média. Sent from my Moto G (5) using Tapatalk
  27. 2 points
    Sem pressa, já estou "programando" meu upgrade pro Bravo Mini. Tenho um Handground, de que gosto (bem consistente pras moagens médias, que são a minha faixa), e um Hario Slim, que quebra o galho e tem valor afetivo. Recentemente, numa desenroscada mais rápida, vi que quebrou uma pontinha do copo de acrílico do Slim. Aí olhei pro meu Handground, de vidro e pensei, contemplando a inexorabilidade da vida: "o que é de vidro, cedo ou tarde, quebra". Então, futuramente precisarei de um moedor praticamente indestrutível para evitar desilusões graves. Portanto, já botei uma quantiazinha num fundo de renda fixa em junho, para ficar rendendo, destinada a ser resgatada quando sair o próximo lote do Bravo Mini. No aguardo, pacientemente.
  28. 2 points
    Tinhamos 3 réplicas para cada moinho, mas não mostrei essas aqui, pois seria muito difícil visualizar os resultados. Mas medi as réplicas para controlar a plausibilidade, e o Hario realmente foi tão heterogêneo. Tinha outros resultados que achei estranho (p.ex. o pico nos fines do Vario com mós de cerâmica) e as réplicas ficaram muito pertos ou até quase idênticos e assim confirmaram os resultados. O caso mais extremo de moagem heterogênea foi um outro moinho manual (esqueci qual) que entupiu o aparelho pois tinha partículas >3mm. Assim nem foi possível medir a amostra.
  29. 2 points
    Levi, eu compro o café da seleção do Mário regularmente. Quando viajo e gosto do café de alguma cafeteria eu compro também. Evito torras com mais de 20 dias e prefiro médio clara, mas isso é bem pessoal. Depois do café do Mário não precisei mais me preocupar com o café em casa. Sent from my Moto G Play using Tapatalk
  30. 2 points
    Também acho que deveria parar de tomar espresso em casa... É alumínio... Se há alguma mínima concentração desse alumínio na água limpa que passa na caldeira, não deve ser prejudicial. Melhor gastar seu dinheiro com equipamentos, não chineses nem de alumínio nem de metal nem de plástico.
  31. 2 points
    Reacendendo o tópico, estive no Café Registrado que fica no bairro de Palermo e gostei bastante da cafeteria. A sócia, Maria Esther, é uma venezuelana muito simpática e o local possui uma boa diversidade de grãos (El Salvador, Quênia, Etiópia, Ruanda e Brasil, entre outros). Fomos convidados para um cupping de chá que estava ocorrendo no momento da nossa visita e ganhamos alguns Espresso de cortesia.
  32. 2 points
    Fala meu caro! Eu gosto da cafeteira Feito a Grão na Pituba, Latitude 13 no mercado do Rio Vermelho, e atualmente a minha favorita é Cafeteria Lucca no Shopping Salvador. Abraços!
  33. 2 points
    Olá, @Jano. Eu recomendo a Feito a grão que fica dentro da Livraria Saraiva do Salvador Shopping. Eles usam um blend para espresso e outras variedades de café para coados na prensa, V60 e Aeropress, como "Santo Antônio do Prado" e "Cordilheira do Caparaó". Tem um "Vista Alegre", mas ainda não dei a sorte de encontrar lá disponível. Prefiro essa loja específica por causa dos baristas, que sempre me indicam qual o café mais novo e com quem sempre converso sobre receitas, quando o movimento na loja não está grande. Não indico outras porque, depois de frequentar o clube aqui e iniciar minha jornada no mundo dos cafés, passei a preferir tomar o café que eu mesmo faço. Só vou a uma cafeteria quando tenho certeza de que a chance de tomar um bom café é alta.
  34. 2 points
    até pq suco de limão é só água e ácido critrico, todas as outras substancias podem ser ignoradas. sim, tive que fazer um contrabando de ácido cítrico para usar nas receitas da cafeteria, fui numa loja chamada "dallas festas" vendem confeitos e artigos para festas só para disfarçar o negócio de ácido cítrico.
  35. 2 points
    Cheguei do Chile fds passado estava de férias junto com a namo, e em Santiago e cidades entorno visitei várias cafeterias, inclusive a starbucks reserve que tem poucas, realmente é uma cafeteria diferenciada, enorme com equipamentos de ponta, fazem vários tipos de extração e a torra são de cafés microlotes selecionados e não deixam carbonizar como de costume, é uma torra para espresso, fugindo da 3 onda, mas é uma torra agradável, vale a pena conhecer a starbucks reserve onde existir. Os cafés lá são todos de fora, de ouros continentes importam cru e torram no chile mesmo, os valores é em torno de 35 a 50 (o mais caro que encontrei) reais o pacote de 250g. trouxe pacotes de lá, todos com torras recentes, dos que abri até agora um que me surpreendeu foi um indiano da café cultura que é um robusta, mas com uma exoticidade enorme, nunca tomei um café tão licoroso, mas também não tem muita complexidade porém é gostoso de se tomar, o pacote já acabou hehehehehe segue algumas fotos... Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
  36. 2 points
    God shot do dia Guilherme
  37. 2 points
    Que café doce é esse Denner, impressionante mesmo, mais um ótimo café dos colegas da Roast!
  38. 2 points
    Caros colegas, estava devendo um retorno quanto à minha decisão e minhas aquisições na Europa. Então, venho aqui atualizá-los e assim contribuir com os demais. Viajei para Portugal em dezembro e minhas aquisições foram: Máquina: Lelit PL41TEM PID adquirida da La Macchina del Caffe da Itália. Moinho: Baratza Sette 270 adquirido da Maxicoffee da França. Minha decisão pela máquina se baseou nos seguintes aspectos: orçamento, possibilidade de dedução do IVA e características técnicas (PID e manômetro). Tanto o PID como o manômetro se mostraram muito úteis para mim, facilitando em muito minhas extrações, pois se considerar meu conjunto anterior (Electrolux EMC10 com filtro pressurizado), posso dizer que fiz um super upgrade e não sabia o que era um espresso de verdade. Já para o moinho, após ler o tópico do Vario percebi que ele não aceita muito bem as alterações de moagem e considerando que iria usar preferencialmente para espresso o Sette 270 me traria mais benefícios (partindo do princípio de que os preços eram similares), inclusive porque aproveitei um desconto da Black Friday da Maxicoffee. Porém acabei ficando sem o desconto do IVA, pois depois de comprá-lo fui surpreendido com a informação de que o desconto do IVA só era possível para entregas dentro da França e como eu iria recebê-lo em Portugal eles não poderiam abater o IVA. Fiquei chateado e pensei em cancelar a compra, pois isso estava elevando o orçamento que tinha planejado, mas fiz as contas e resolvi dar um up no orçamento, pois o desconto da Black Friday acabava valendo a pena. Quanto às lojas e o processo de compra: www.lamacchinadelcaffe.com: no início fiquei um pouco receoso com a loja, fiz algumas consultas aqui no fórum e não consegui informação de ninguém que já tivesse comprado com eles. Sempre gosto de saber o nome de quem está me vendendo e levei um tempo para saber o nome do vendedor, pois ele não colocava o nome em seus emails. Tive que perguntar diretamente, então ele se apresentou como "Stortoni Kimeo proprietor of the company". Sabendo o nome já me deixou mais tranquilo, não que isso mudasse alguma coisa caso o vendedor quisesse me sacanear. Como eu ia trazer a máquina para o Brazil, ele já me passou o valor com o IVA deduzido, paguei um adicional pelo frete para Portugal e uma taxa para o pagamento pelo Paypal, sendo que para ele já deduzir o IVA me comprometi a carimbar a Invoice (Nota Fiscal) original no aeroporto e encaminhar por correio para ele. Todo o processo correu muito bem, posso indicar a loja e o senhor Stortoni Kimeo para os colegas aqui do fórum. Que fique claro que não tenho nenhum vínculo com a loja ou o proprietário, estou indicando baseado em minha experiência. Como avisei que iria despachar a caixa como bagagem de porão no voo para o Brasil pedi para ele caprichar na embalagem e posso dizer que ele caprichou. Só abri a caixa no Brasil e estava tudo em ordem. Inclusive ele incluiu algumas borrachas de reposição sem custos, uma do grupo e a outra ainda não sei de onde é. Abaixo algumas fotos da caixa e da máquina. Essa é a embalagem que ele fez, só abri no Brasil, estava muito bem protegida. Vejam que atrás está a caixa do Sette 270 que veio na mala de mão. Acabei não batendo nenhuma foto da caixa quando abri. A caixa da máquina propriamente dita. Também veio bem protegido. Olha a caixa do Sette ali atrás. A máquina já no balcão da cozinha. Olha no reflexo a Moka da patroa. www.maxicoffee.com: como disse, aproveitei um desconto da Brack Friday e acabei comprando o Sette 270, mesmo ficando acima do orçamento que tinha planejado inicialmente. Na verdade eu queria comprar o Sette 30, fiquei até o limite aguardando ele chegar na loja, inclusive me passaram algumas datas em que o mesmo estaria disponível, mas isso acabou não se concretizando e eu tive que optar por outro modelo. Inclusive o Sette 30 só ficou disponível agora no final de abril, início de maio. O único problema que tive foi que inicialmente me informaram que seria possível receber o reembolso de 12% do IVA (na França o IVA é de 20%), porém depois da compra e de mandar todos os dados para que providenciassem o "detaxe" me informaram que não seria possível uma vez que a entrega seria fora da França e eles só podem reembolsar o IVA se a entrega for dentro da França. Mesmo assim acabei mantendo o pedido. Ainda me mandaram 4 pacotes de 250g de cafés diversos: 3 franceses e 1 italiano. Tirando a falha quanto à informação do reembolso do IVA, também posso recomendar a loja, que fique claro que não tenho nenhum vínculo com a mesma, estou indicando baseado em minha experiência. A loja possui uma variedade muito grande de produtos para café, máquinas, moinhos, cafés em grão, ... Quanto ao novo conjunto, levei um bom tempo para ajustar a moagem e aprender a tirar um bom espresso ("bom", não sei, mas pelo menos melhor que meus anteriores). Só para lembrar, antes eu tinha um moedor manual, com mós cônicas de cerâmica, Ching Ling e uma máquina Electrolux EMC10 com filtro pressurizado e migrei ao mesmo tempo para um moedor Sette 270 e uma máquina Lelit com filtro despressurizado. Ou seja, mudei tudo, e tive que aprender todos os ajustes de cada equipamento. Fiz muito café ruim até ajustar a moagem e as dosagens, mas o PID e manômetro da Lelit ajudaram muito neste processo e claro que a velocidade e precisão do Sette 270 também ajudaram muito. É possível acompanhar a temperatura e a pressão e saber de antemão se o café ficará ruim ou não só com estas informações. Claro que não garantem o gosto na xícara, mas ajuda bastante. Desculpe o logo post, mas eu estava devendo este retorno e precisava atualizá-los. Agradeço a todos que ajudaram em todo o processo de escolha destes equipamentos. Bom café a todos!
  39. 2 points
    Então, agora os resultados. Repeti as medições três vezes e os resultados são quase idênticos. Vou só mostrar a última medição aqui. Do ponto de vista metodológico teria muito para escrever, p.ex. que em cada amostra de 6g de pó foram analisadas na faixa de 10-12 milhões de partículas em 15.000 fotos. Tb é importante ressaltar que considero essas medições bem exatas, para os meus moinhos, mas que os meus moinhos não necessariamente são representativos para cada modelo/empresa. Como recebi alguns pedidos de incluir o Vario com mós de aço no teste, fiz isso tb, embora uma moagem para espresso demora quase 1min com ele e assim quase vira inviável. Bom os resultados: Eixo y é a contribuição média para o volume da amostra, x o diametro médio das partículas em escala log (veja tabela para uma descrição melhor). Aqui uma versão cumulativa desse gráfico (eu acho mais fácil para entender; é importante considerar a escala log, assim pequenas diferenças no fim das curvas tem um efeito enorme na granulometria): E um resumo da analise (diametro, esfericidade, simetria, e razão largura:comprimento das partículas): Algumas conclusões pessoais (entre muitas conclusões possíveis): 1) Usei um café de torra média+, já passou do ponto que eu acho agradável no espresso, a torra matou a acidez e tinha bastante sabor de torra e amargor. Com os moinhos que entregam uma moagem mais homogênea, e assim um diametro médio menor de partículas (Vario com mós de aço, Eureka) esse café ficou muito nojento. Já com os moinhos com moagem mais heterogênea (Debut, Aergrind) esse café ficou quase bebível. Claro que o efeito com torras claras é outro ... 2) Na comparação Bravo Mini - Debut, o meu Mini claramente entrega uma moagem mais homogênea do que o Debut. Gosto mais do Mini para torras claras e do Debut para torras médias. Já suspeitava que tem a ver com a granulometria, agora tenho certeza. 3) Nenhum dos meus moinhos é unimodal (tipo EK43), mas justamente os dois que acho mais interessantes para torras claras (Vario com mós de aço e Eureka) são mais unimodais (ou com moagem mais homogênea) do que os outros. 4) Observando algumas das imagens que o equipamento fez, achei nenhuma diferença notável na forma das partículas entre os moinhos. Como os índices de esfericidade e simetria, e a razão largura:comprimento tb foram bem parecidos entre os moinhos, creio que a forma geral das partículas não faz muita diferença. Já a superfície microscópica que as cortes de mós diferentes causam pode ser uma outra história... Abçs, Burny ****************************** EDIT: Consegui fazer os gráficos no formato da Mahlkönig (volume total de classes logarítmicas de tamanho). São histogramas apresentadas como curvas, e assim meio duvidosas, mas interessante para comparar:
  40. 1 point
    tinha visto pelo tapatalk e achei que era um erro de html kkk rapaz, a lista é grande, alguns nomes eu cheguei a por no meu roteiro, mas não consegui ir, mas além dos cafés preciso ir em vários restaurantes, alguns museus e fazer mais um trekking no paramo Colombia até o momento é o país que mais gostei de visitar, cultura absurdamente rica e achei o povo bem mais receptivo que o brasileiro.
  41. 1 point
    E detalhe! Extração muito bonita utilizando filtro despressurizado!
  42. 1 point
    João, considerando os 73 itens da lista do Faber e as 8 cafeterias que fui, na verdade tenho pelo menos 65 motivos para voltar à Colômbia. rsrsrsrsrs. Eu esqueci de mencionar uma coisa no post. O Faber me falou que vale muito à pena ir ao Catación Pública, em Usaquen. Não tive oportunidade, pois quando o conheci já tinha ido a esse bairro, que fica meio distante ao norte, como você sabe. Está no topo da minha lista para a próxima ida à Colômbia. https://www.catacionpublica.co/
  43. 1 point
    Bom dia. Gostaria de opiniões sobre qual máquina de espresso comprar. Tenho loja de artesanato mineiro e já vendo cafés (Unique, Pé de Breu, Cuesta, Utam) e sempre faço cafés para os clientes degustarem os cafés que vendo. Tenho uma Crema Silver, que está comigo desde que abri a loja (8 anos) e que nunca deu um probleminha sequer. porém, agora ela tá "sofrendo" pra fazer os cafés, numa média de 20 por dia. Clientes me indicaram a marca Saeco, única com assistencia aqui no estado de MS. Pesquisei e achei vários modelos e preços e fiquei perdido. Sendo assim, alguém pode me indicar uma Saeco com bom custo benefício?
  44. 1 point
    O Mario envia de qual lugar do país? Enviado de meu Moto G (5) Plus usando o Tapatalk
  45. 1 point
    Bom, menor o desvio padrão ou a faixa d10-d90, mais homogênea a moagem (=melhor). Já uma média ou mediana menor pode ser por causa de uma quantidade exagerada de fines que não é tão bom. Aqui se mostrou (na minha opinião) que em alguns casos o nosso método de regular os moinhos não foi tão ideal, pois teoricamente mais fines impedem o fluxo e o resto das partículas tem que ser mais grosso para compensar. Só que isso não aconteceu sempre ...
  46. 1 point
    @tencelcal o ajuste interno da mó é limitado pela prórpria peça plástica que suporta a mó. São 3 encaixes com 3 limitadores, já testei em todas as posições e não fica legal a faixa de ajuste! Isso é coisa feita sem capricho mesmo! Enfim...deixa esse diacho aqui...rsrsrs... Forte abraço e obrigado, Eduardo Gurjão
  47. 1 point
  48. 1 point
    Por mais amigos e amigas assim! parabéns! Amigos que trazem muamba dão excelentes melhores amigos!
  49. 1 point
    Chegou há alguns dias, graças a uma amiga que aceitou trazer na bagagem. Eureka Atom para substituir o Sette 270w. Troquei principalmente por conta do barulho e é impressionante como o Atom é silencioso. Penei um pouco até me adaptar a não moer por dose e desperdicei bastante café até acertar a regulagem, mas até agora estou 100% satisfeito. Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
  50. 1 point
    Esse texto do Jim Schulman, publicado no Home Barista, é bem interessante, e até citaram aqui como guia para um tutorial em vídeo. Achei por bem traduzir, com autorização do autor: "Eu publiquei essa informação várias vezes e as pessoas continuam me perguntando a mesma coisa. Então deixo aqui em destaque. O sabor da sua extração está balanceado; o doce, ácido e sabores de torra estão proporcionais? Se há equilíbrio na extração mas os sabores não lhe agradam, você precisa trocar o café. Se os sabores lhe agradam mas não há equilíbrio, com um sabor sem graça, ou muito agressivo, ou azedo, ou muito amargo, você pode acertar o café com mudanças na dose e moagem. Como ajustar dose e moagem para arrumar o equilíbrio para a maioria dos cafés Se o sabor do café está sem graça, os açúcares e caramelos estão encobrindo os sabores. Aumente a dose e engrosse a moagem para manter o mesmo fluxo. Isso reduzirá a proporção de açúcares mantendo o equilíbrio entre acidez e amargor. Se o sabor do café está agressivo, você precisa de mais açúcares e caramelos e menos sabores. Diminua a dose e afine a moagem para manter o mesmo fluxo. Isso aumentará a proporção de açúcares mantendo o equilíbrio entre acidez e amargor. Se o sabor do café é muito brilhante, com limão, frutas, maçã, vinho e outros sabores ácidos, mantenha a dose e afine a moagem para reduzir o fluxo. Faça uma extração de fluxo mais lento, mais para o ristretto. Isso reduzirá a acidez relativamente ao amargor. Se o sabor do café é muito amargo, com muitos sabores "amargo brilhante" nas torras claras, tais como torrada, madeira e casca de limão, ou muitos sabores "amargo escuro" nas torras escuras, tais como cassis, cravo, tabaco e turfa, mantenha a dose e engrosse a moagem. Faça uma extração de fluxo mais rápido, mais para o longo. Isso aumentará a acidez relativamente ao amargor. O que precisará para fazer isso Você precisará de uma balança com resolução de 0,1 grama e precisará pesar as doses com essa precisão. Para a maioria das balanças, é mais fácil remover o filtro e o pesar fora do porta-filtro. Se você está iniciando, é útil marcar o tempo e pesar ao mesmo tempo em que se extrai o café. Um duplo normal pesa por volta de 35 gramas e leva por volta de 27 segundos, um ristretto pesa por volta de 20 gramas e leva por volta de 35 segundos, e um longo pesa por volta de 50 gramas e leva por volta de 20 segundos. Muita paciência no começo. É útil conhecer seu moinho. Tipicamente, uma mudança de 1,5 g na dose para duplos determinará a mesma diferença no moinho para manter o mesmo fluxo, independentemente da dose usada (a diferença da regulagem é dependente do filtro). Minha experiência é que mudanças de aproximadamente 1,5 g criam o salto de "sem graça" para certo ou de "demais" para certo. Também percebo que uma mudança de moagem que compensa uma mudança de 0,75 g na dose tem o efeito de mudar o fluxo de normal para rápido ou de normal para lento. Essas dicas não devem funcionar com cafés de Sumatra, envelhecidos ou com muito Robusta. Devem funcionar geralmente bem com os outros cafés."
×