Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Carneiro

Senior Members
  • Content count

    3,530
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    49

Carneiro last won the day on November 22

Carneiro had the most liked content!

Community Reputation

1,272 Excelente

1 Follower

About Carneiro

  • Rank
    Membro honorário
  • Birthday 06/26/1978

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    São Paulo
  • Equipamento
    Faema Velox, Pharos
  1. Alguém toma café descafeinado?

    Se usar produtos químicos, só por serem químicos, fizesse mal à saúde, talvez estivéssemos extintos... Lá em cima falaram que os processos de água usam concentrado de cafeína. É o oposto, faz-se um concentrado do próprio café que vai descafeinar, retira-se a cafeína com algum processo e usa-se esse concentrado pra fazer osmose reversa no café é retirar só a cafeína. Claro que não é perfeito e deve retirar mais coisas, bem como alterar o grão por outros motivos. Os solventes mais comuns se não me engano são acetato de etila e diclorometano. O primeiro é o mesmo das frutas, do processo de maturação, por isso deve causar uma impressão de mais natural. Ambos são voláteis em baixa temperatura, qualquer resquício deve evaporar na torra. Parece que o acetato de etila é mais caro. Não sei se se encontra café especial descafeinado nesse método pra comparar com os outros... Tem também os processos de co2 que usam o co2 em alta pressão como um solvente seletivo. Não sei se é mais complexo que o da água... Já tomei bons cafés especiais descafeinados em métodos de água e de CO2 (Square Mile normalmente tem nesse último). Parece que qualquer que seja o método o grão muda o comportamento na torra e fica mais escuro também mesmo sem apresentar sabores nas mesma cor de torra do café sem passar pelo processo. Só comparando pra saber. Parece que o primeiro método criado no começo do século passdo usava benzeno. Esse sim é do mal... Todas informações aqui não tem verificação muito formal nem científica, Dr. Google nos iluminando sempre.
  2. Melhores práticas com sua máquina

    Questão é que a energia que gasta pra aquecer a máquina toda pode ser maior que a energia para manter a mesma aquecida, principalmente no caso do @Dario Mattar e de pessoas que usam pela manhã e depois do almoço ou à tarde. Mas para as maquinas pequenas de repente o contrário é verdade, gasto bem maior se ficar ligada.
  3. Melhores práticas com sua máquina

    Nunca testei, existe bastante discussão sobre isso lá fora, mas acho que mais sobre máquinas prosumer ou comerciais, que tem uma caldeira considerável de vapor. Depende da perda de calor durante o dia, o que enseja o gasto energético. Provavelmente seria bem bom ter as caldeiras isoladas termicamente, pra deixar a máquina ligada e gastar pouco pra manter. Na máquina que tenho no trabalho a caldeira é pequena (500ml, que fica na faixa de 95°C), mas com resistência ignorante de 1400W, além do grupo de ~2kg de latão com resistência de 100W, e programei o Arduino pra atuar nas resistências de 6h às 17h, mais ou menos. Talvez desse pra eu calcular quanto ligo e desligo tudo ao longo do dia e poderia comparar 24/7 ou intermitente... Mas sábado e domingo fica desligada. Eu aposto que, no meu caso, é mais econômico como faço. No fim, é verificar se o gasto pra aquecer tudo é compensado pelo período que fica desligada (~13h aqui).
  4. Mostre Aqui seu Cantinho do Café

    https://www.home-barista.com/grinders/conversion-kit-modifying-kitchenaid-proline-to-hold-mazzer-mini-burrs-t21842.html Acho que tinha também algo pra deixar sem passos, mas talvez seja menos critico.
  5. Mostre Aqui seu Cantinho do Café

    Tem várias modificações que o pessoal faz nesse moedor, inclusive usar outras mós.
  6. Não vejo muito porque manter tópicos de trocentas páginas! Acho mais é que deveriam fechar os gigantes, exceto um ou outro que tem proposta de mural ou "status do whatsapp" (aliás, software de fórum bobeando aí hein? Ou será que tem algo assim?). Aposto que há boa descrição de técnica lá no tópico Latte Art perdida em 116 páginas... Acho que a lactase quebra a lactose em galactose e glicose, por isso a percepção de doçura muda. Também melhora um pouco se vaporizamos direitinho.
  7. Se não me engano, não varia tanto a quantidade de proteína nos leites comerciais... Mas esse número em proporção à gordura provavelmente é importante. Lembro de desnatado ser fácil, mas uma espuma menos durável, semi ser mais difícil e integral voltar a ser fácil e a espuma durar mais, além de ser possível misturar melhor e deixar um leite cremoso ao invés de leite + espuma. Mas só uso Leitissimo sem lactose, que aliás fica bem docinho. Tente experimentar aumentar a gordura com creme de leite fresco, muito aos poucos. Não demora pra dar ruim. Mas sei que não é o mesmo que um leite mais gordo. Também, se não me engano, leite direto da vaca varia bastante a gordura dependendo da época de lactação. Também não foi homogenizado (acho que por isso a gordura forma aquelas bolhas amarelas separadas) e deve fazer diferença. Tudo achismo meu, não pesquisei muito nem consultei especialistas.
  8. Depende da profundidade do filtro. Na Dalla Corte o filtro normal vai bem até uns 16g, talvez mais com cafés muito pouco expandidos e duros, mas ideal pra super dose é o filtro triplo. Infelizmente não sei qual altura do filtro da BES840. Mas apostaria que não dá para dosar demais...
  9. Antes tarde do que nunca :)

    Ideal é medir a temperatura com um filtro com termopar. Aquele Scace device é caro, mas não deve ser muito caro fabricar algo semelhante. O cara da Decent Espresso tava lançando um filtro pra encaixar sensores mas era de 58mm.
  10. Antes tarde do que nunca :)

    Sim. Solução mais simples seria um tubo enrolado na caldeira de vapor. Melhor seria um trocador nessa caldeira, mas aí pode ser uma modificação avançada ou até inviável. Não é tão crítico mesmo...
  11. Antes tarde do que nunca :)

    Essa interface da Vivaldi é coisa de louco. Vale um projeto pra substituir a eletrônica dela... Se eu fosse mexer, ainda tentaria esquentar o grupo diretamente também. E pré aquecer a água antes da caldeira de café...
  12. La Spaziale Top, MACAP M4/M5, primeiras impressões.

    @João Vitor RibeiroNão dá pra dizer por foto se as mós estão boas. Na verdade, difícil até dizer analisando de perto. Melhor perceber o resultado e se não está demorando muito mais do que deveria (deve ter especificação por aí) para moer. @Reynaldo VillanovaNa Espresso Coffee Shop tá 370 euros sem o imposto. Adicione frete, impostos, e terá o preço de um novo aqui (deve dar uns 3500 reais), se ninguém no Brasil vende o modelo por um preço melhor.
  13. Ajuda na escolha da máquina (compra no exterior)

    Ideal pra pedir dicas é dizer o orçamento pra compra e também nos contar qual moinho usa. Outros detalhes de quantos cafés por dia faz, se bebe leite e ainda se pretende entreter visitas com mais demanda pra máquina em algum momento, ajudam.
  14. Que máquina devo comprar?

    Eu chutaria que o filtro seja pressurizado e entope fácil. Cafiza deveria ajudar a limpar fácil. Mas já que há disposição pra uma máquina, melhor evoluir. Mas o moinho já é bom?
  15. Menos café que o ML indicado

    Bem colocado. Nas bombas vibratórias o fluxo de água diminui com a pressão maior. Se a máquina usa um cronômetro, dará diferença. Se ela tiver um sensor de fluxo será como os de máquinas superautomaticas e também há erro grande dependendo do fluxo e pressão. No fim das contas o certo é programar a máquina com cápsula (se for programável o volume de extração).
×