Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Bernardo B

Senior Members
  • Content count

    3,208
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    47

Bernardo B last won the day on March 27 2017

Bernardo B had the most liked content!

Community Reputation

1,990 Excelente

About Bernardo B

  • Rank
    Avançado

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Brasília - DF
  • Equipamento
    Strega, Mythos, HG, Pharos, Lido, Macap, Gene, etc

Recent Profile Visitors

7,304 profile views
  1. LA PAVONI EUROPICCOLA

    É uma boa máquina, faz um ótimo ristretto porém tem suas limitações, e ainda, como bem apontou Burny, esse preço está caro para uma usada., Comprei a minha em Lisboa, uma Profesional dourada modelo PDH, (modelo top, muito bonita) sem uso, testada uma única vez, por 199 euros. É verdade que no meu caso foi especialmemte barata, porém as que apareçeram no CDC foram vendidas por volta dos 1000 - 1500 reais ...
  2. Deve ser isso mesmo Caé, só que eu tinha encomendado a E61 de 8mm
  3. Moedor manual MALWANI LIVI no Kickstarter

    Estava vendo isso mesmo ! Pensei que, com as 4 engrenagem teria uma des-multiplicação maior, o que já e muito bom ! Porém a idéia de usar as engrenagens para estabilizar o moedor é super vem bolada !! Aí diminui muito tanto o esforço necessário quanto aumenta a ergonomia ! PS: mas gostei mesmo foi da La Pavoni ... , não conhecia esse modelo ...
  4. Eu comprei das primeiras da Cafelat, porém apesar de "ser" de 8mm a minha veio de 8,4mm e o PF mal entra, pelo que não posso usar ... Pensei como ajustar os 0,4mm, porém além de fazer numa retífica (o que é inviável) não se me ocorreu nenhuma outra idéia exequível ...
  5. Moedor manual MALWANI LIVI no Kickstarter

    Gilberto, achei o mecanismo uma copia quase que idêntica ao HG One, não vejo diferença em prender no eixo ou na base, ambas são bem fixadas, se houver algum problema para o alinhamento sera na peça de engate da mó, tanto num quanto no outro ... No entanto, se você, que estudou bem o babado, diz que é superior, quem sou eu para duvidar Como será que se estabiliza, ventosas ? Pesa só 4Kg, o HG acho que são 9 kg, e além do peso tem um "segurador" para a outra mão e esse (ao menos no filme) nem se mexe ...
  6. Cafeteira Aram - O projeto

    Hoje estivemos experimentando alguns cafés com um amigo, que trouxe uma Aram para conhecer. Tiramos dois shots com ela, um saiu lungo, o outro ristretto, ambos, se não perfeitos ao menos estavam corretos. O perfil, preparo e manuseio é parecido com a Mypressi Twist, que aliás, achei mais pratica. No entanto a Mypressi (acho que nem vende mais) quebrava logo e para conserto tinha que enviar a os EUA, a Aram ao menos conserta aqui. Vale para quem não fica sem espresso nas viagens, para mim levar esse peso (além do moedor e os grãos) não me compensa ... se eu tiver um bom coado ou Aeropress para beber, já está de bom tamanho. Para uso diário, aí eu não encarava, não teria a paciência ...
  7. Bravo Mini

    Após umas três semanas de uso, e comparando com os outros moedores, o Mini ganhou a titularidade para os cafés coados e similares. Na base, fixo na bancada, a relação qualidade de moagem / facilidade de uso, ganhou fácil dos outros. O Lido (titular anterior) tem um perfil de sabor muito parecido, porém tenho a impressão que o Mini consegue ainda um pouco mais de separação das camadas, o que deveria ir melhorando ainda mais com o amaciamento das mós. O Mythos tem um perfil diferente que, dependendo do café, pode até ser mais interessante, porém desde que está regulado para espresso, não compensa usar no coado para doses simples, ainda mais quando o Mini, com a base, é muito componente neste quesito. Os coados tem muita claridade e suavidade, tanto que trocamos o primeiro espresso do dia pelos coados, o que resulta num café da manhã e despertar mais suave e prolongado.
  8. Eureka Mignon MCI vs MK Vario - Comparação rápida

    Oi Burny, no fórum inglês, ainda que muito apreciado, eles sempre reclamaram do empelotamento (clumping) do Mignon. Não afetaria em nada a qualidade da moagem, mas dificultaria a distribuição mais homogênea direta no filtro. Eu moeria (coletaria do moedor) num recipiente intermediário (um copinho, becker ou funil HG) onde poderia chacoalhar a vontade e virar o conteúdo no filtro, com isso eliminarias o empelotamento, o po fica bem solto e a distribuição muito facilitada.
  9. Torrador de Prova Carmomaq

    Foguinho, falo somente porque no início e bem mais fácil negociar modificações operativas com os desenvolvedores do que quando estão em estagio final. O Probatino de 1kg, para torras realmente boas, só com 800gr ou menos. Um torrador amigo de Berlin trocou um Toper (turco) de 15kg por um Giesen (O luxo de torrador !) , e levou a surpresa que só fica bom mesmo com 11 - 11,5kg, ainda que a qualidade aprimorou, o trabalho aumentou 20 - 30%, ficou bem chateado ... Desta forma , não sendo canhão (que dificílmente negaria fogo, diria Carneiro ! ), seria bom pedir para dimensionar para pelo menos 1,200kg. Torras predefinidas é coisa que serve para iniciante, e só na fase de aprendizado, ou de quem torra quantidade de grão gourmet ou comercial, não e boa solução para um torrador desta capacidade e preço ... Com cafés especiais, caros, precisa otimizar a torra, poder gravar e trabalhar com curvas próprias, para que compense torrar em casa. Isto só é possível podendo, pelo menos, adquirir automaticamente os dados dos sensores de temperatura (preferente por conexão direta atravês de conexão para tablet ou notebook, interface com phydgets ou utilizar termômetros já com Bluetooth ou USB) para alimentar um SW de torra e assim poder salvar as próprias curvas. No meu caso fiz, não tinha opção de aquisição automâtica dos dados, e tive de registrar as temperaturas de cada torra na mão, no Roastmaster, para poder gravar as minhas curvas ... não recomendo dá um trabalho medonho ... felizmente após vários anos anotando cada torra, identifiquei meus perfis favoritos para determinadas características e agora não adquiro mais dados, só desenho as curvas com alguns parâmetros no meu caderninho, o que para mim funciona suficientemente bem, ainda que não tenha os dados para analizar os ROR, ver se teve Stall e outros, o que evidentemente facilitaria para entender melhor o resultado no cupping. Idealmente, se alem de adquirir os dados ainda fosse possível comandar os controles através do SW (como no STC), todo o processo ficaria simplificado, com possibilidade inclusive de "automatizar" as torras dos mesmos grãos. Do QR não saberia dizer da utilidade .. talvez para atualizar firmware ou perfis ou consultar algum site ou documento, ... não sei ... Assim que no início e bem mais simples começar com material que permita que seja equipado com opcionais de fabrica ou, pelo menos, para poder conectar com interfaces ou equipamentos do usuário. Essa é idéia geral atrás de meu comentário. Paro aqui desde que estou com sono e não gostaria de falar mais bobagem
  10. Torrador de Prova Carmomaq

    Air fryer ... Soa a algo como o do Beto, aumentado e reforçado ... Depende muito das soluções que encontrem para filtragem da película e da fumaça, dos controles de potência,velocidade de tambor e do fluxo de ar, a velocidade de resposta, número e qualidade dos sensores de temperatura e soluções de interface (USB, Bluetooth) e compatibilidade para conexão com softwares de torra (Artisan, Cropster, Roastlogger, etc). Vamos aguardar e ver o que vão apresentar ...
  11. Moedores clase Titan, engasgando em Brasília ?

    Rodrigo voce lee o Pensamento ! Estava vendo isso mesmo, inclusive o Frank acabou de lançar a nova versão para Mythos, e se enviar para endereço de Europa não é fica tão cara assim ... Segundo ele próprio, as mós da Mahlkoenig / Ditting (Alemanha e Lichtenstein) e da SSP(Korea) são as melhores que existem, de forma que a escolha é mais dê preferência pessoal, no entanto, as do Mythos tem marca Eureka Mythos, e não sei quem as fábrica de fato ... As Eureka Mythos originais, de titânio com banho TIN ($180) tem vida útil para 1.200kg, e o Hensung me informou que as Red Spur seriam para 5.000 ($350) e as novas de Tungstênio ($800) para 20.900kg !!!! Para uso comercial pode compensar, porém tem Home barista comprando as de Tungstênio por achar que são superiores ... Minha dúvida está entre as de 180 e 350 , tanto pelos comentários quanto pelos resultados dos testes, que indicam que conseguem extrair significativamente mais, porém o que evidentemente me interessa é o resultado na xícara. Tua avaliação respeito a sabor é um dado importante para me ajudar na decisão, ainda que o caso é um pouco diferente, desde que a comparação entre a qualidade Mahlkoenig e SSP pode não a mesma que entre Eureka e SSP ...
  12. Moedores clase Titan, engasgando em Brasília ?

    E isso aí Caé As mós podem estar pesando ao moedor, mas extraem que é uma maravilha ! Tanto que estou usando o Mythos para as doses individuais, os diferentes faço no HG para não ter de purgar. Baixei a dose de 8 para 7gr para 33gr (em média), para torras claras (hoje um Herbazu - Lorena da Sq Mile, bom, porém nada de muito especial), o espresso sai melhor (mais claridade e separação de camadas) que no coado com o Mini, que, diga-se de passagem, esta dando um coado (6,5%) com bastante claridade e bem balanceado, brigando cabeça a cabeça com o Lido, que tem a vantagem de estar muito bem amaciado. Não posso reclamar, estou com um ótimo "plantel" de moedores
  13. Moedores clase Titan, engasgando em Brasília ?

    Hoje fui atrás para descobrir o que estava causando o problema. Abri e demontei as mós, limpei bem a fundo, tirei fotos com macro, ajustei ponto zero, e fiz verificação do alinhamento com marcador. Ainda fiz uma pesquisa sobre a vida útil das mós do Mythos. Resultado: motor OK, regulagem OK, alinhamento bastante bom e o motivo do stall mais provável e desgaste das mós. Diferentemente de outras mós de Titanio (e ainda com cobertura de TIN) que tem vida útil de 5.000 a 10.000 kg, as do Mythos seriam para 1.200kg, o que bate aproximadamente com as 97.000 doses moídas. Na imagem da macro dá para perceber um pouco brilho prateado nas láminas da mó superior, sinal de que sim existe desgate. Agora vou teu de procurar um bom fornecedor, e decidir se vou colocar novamente as originais de Titânio ou experimento com as mós da SSP coreana que são a sensação do momento para os moedores top de top. Dizem que conseguem uma extração bem superior às originais. Algumas fotos do trabalho, ferramentas e do alinhamento. A iluminação engana bastante, na realidade na mó inferior (a última foto) a tinta esta perfeita em toda a superfície, na foto anterior (da mó superior) ai, se bem que não tem tinta do lado inferior direito, porém o efeito aparece exagerado, o segmento e muito menor do que se vê na foto, nó máximo são 30º , a parte de cima da mó (que aparece brilhando) esta totalmente coberta. O desalinhamento é bem discreto, nada mal mesmo mesmo.
  14. Moka: como eu faço

    Joao W, coloca água quente, aí é rapidinho.
  15. Moedores clase Titan, engasgando em Brasília ?

    Melhorou mas não resolveu ... Mói perfeito doses individuais porem se encher o hopper engasga. Com o novo capacitor ficou mais fácil, e só abrir que desengasga (não precisa tirar os grãos), porém quando bem regulada engasga novamente. Vou por eliminação: 1. As mós: Pelo aspecto estão boas, amoladas e o banho de TIN dourado teria de ter gasto para que desgastasse o aço, no entanto toda a superfície esta recoberta pelo TIN. Ainda, mói 16gr em 1,85 segundos e 8gr em 0,85", duvido muito que isso seja possível com mós gastas. Ainda, o contador geral marca 97.000 doses, a uma média de 10gr seria menos de 1.000kg, com 20gr menos de 2.000, muito abaixo dos 5 a 8.000kg que dizem seria a vida útil das mós. Podem estar desalinhadas ? Talvez, porem girando com a mão ou com motor não se percebe nada. Teria que medir com uma ferramenta Titus ou com marcador. De todas formas, duvido que um mínimo desalinhamento chegasse a engasgar o motor, além de que a qualidade do pó moído está muito boa, tanto na granulometria quanto de sabor. 2. A corrente elétrica. O motor esta especificado como de 110 - 120 V com potencia de 250W, e esta sendo alimentado em rede 220V (estável: 217 a 220V) através de um transformador de 1.500 V.A. , pelo menos 5 vezes a capacidade teoricamente necessária, e o multímetro mostra que esta entregando 126-127V. 3. O motor: Ainda que me pareça subdimensionado para um moedor de alta produtividade, nos últimos anos tem funcionado sem problema, com todo tipo de grãos. Com a mão gira fáçil e sem barulho, não sei se tem ponto para lubrificação (buchas no eixo?). Esta é a imagem do manual, desde qie não vejo as "janelinhas"das escovas, diria que é brushless e possivelmente blindado. O contador acusa de 27 horas 24 minutos de uso total, acho isso muito pouco como para desgastar um motor eletrico, um ventilador trabalha isso em 2 dias. O que acham ? Amanhã devo testar com um restinho de uma torra bem desenvolvida que fiz em janeiro, porém deveria funcionar com todo tipo de café ...
×