Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

LUW

Senior Members
  • Content count

    2,130
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    15

Everything posted by LUW

  1. O Bravo Mini & eu

    Para não tumultuar o tópico oficial do @Gilberto, resolvi criar um tópico específico com as minhas experiências de uso do Bravo Mini. Assim aquele tópico oficial fica para dúvidas e esclarecimentos técnicos e nós azucrinarmos o Gil com pedidos absurdos e perguntas bestas só para ver se tem como ele ficar mais calvo e definitivamente nunca mais precisar ir ao cabeleireiro. Mesmo depois de MUITO incomodar o Gil, ele foi gentil o suficiente para fazer um BM para mim, e com a base. A primeira coisa que chama a atenção, é a solidez tanto do BM como da base. Tenho plena convicção que o conjunto vai ser herança de gerações futuras aqui, pois tanto o moedor como a base são extremamente robustos. Só o BM pesa 1,6 kg (já vou comentar sobre isso). Sou pediatra por profissão, mas tenho um grande apreço por máquinas e ferramentas, e com o passar dos anos criei gosto por ferramenta de qualidade. Minha esposa riu quando falei isso para ela, mas o BM me parece ferramenta de origem germânica de tão bem feito. A primeira coisa que fiz quando recebi as caixas foi abrir tudo e desmontar tudo o que não precisasse de ferramenta, e quando soltei o copo do moedor, sendo de metal, coloquei com cuidado sobre a bancada (de azulejo) para não riscar. Mas para a minha supresa, na base do copo tem um o-ring de borracha que funciona como suporte. E é esse tipo de detalhe que faz o BM simplesmente demais! Coisa de ferramenta profissional, feita por quem entende para quem entende. O acabamento tanto do moedor como da base são primorosos. Mas apesar do excelente acabamento, a qualidade das peças em termos de robustez parece coisa de padrão profissional, feitos para serem usados mesmo. Nada de peças de plásticos que dão aquele aspecto de quebrou-compre-outro que é a norma da indústria hoje em dia. Mas e funciona para moer café? É um moedor pesado, mas como podem ver, cabe na mão. Apesar do Gil chama-lo de Bravo Mini, eu acho ele bem grande, a ponto que sinceramente não acho prático para ser carregado por aí. Se fosse levar um moedor portátil, eu levaria o muito inferior Hario Mini e não o BM, simplesmente porque o trem é grande e pesado demais. Por causa do peso, achei meio incômodo de usar na mão, e olha que tenho mãos grandes. Perguntei para a minha esposa, com seus 164,5 cm (não sei porquê, mas ela faz muita questão desse 0,5 cm), o que ela acharia de usar sem a base, e após manusea-lo disse que só conseguiria usar com apoio. "Mas por que você quer usar ele na mão?", foi a pergunta que me fez em seguida. Para não me extender muito e esgotar meu dicionário de superlativos, o BM é muito bom, mas na base o BM é simplesmente f-o-d-á-s-t-i-c-o. Eu comprei o BM porque precisava de um moedor "bom para espresso". O meu Encore é (razoavelmente) bom para coados, mas apesar de ser no mínimo razoável para espresso, faz uma retenção sacripanta de pó, exigindo limpeza muito mais frequente. Por causa disso, acabava usando o bem mais prático Hario Mini, que é até bom para espresso, mas essa estória de ter de suar a camisa para tomar espresso não rola para mim. Nisso surge o Gil com o BM e base. O BM produz uma consistência na moagem que é impressionante. A foto acima é grão moído na regulagem 1v+9, que fiz para tirar um shot de espresso na Aram, usando o "Blend Clássico" da Lucca (torra de 30 de janeiro!) - fotos mais abaixo. Moí 16,1 g, e girando a manivela de forma bem suave, sem encostar na base ou no moedor com a outra mão, levei exatos 33 segundos! Ontem a noite, na mesma moagem e mesmo grão e mesmos 16 g, socando a bota levei apenas 22 segundos. Portanto ele é rápido, mais rápido até que o meu Encore. E por causa do tamanho da manivela e manípluo, mesmo sentando o cacete não cansa nem machuca a mão. Nessas duas fotos podem ver porque o meu copo não é preto como o resto do BM - queria poder ver com facilidade o pó lá dentro. Fiz essas duas fotos em seguida, mas a primeira fiz depois de tirar o copo com o máximo cuidado do moedor, sem bater em nada, pois queria pesar o resultado. Moí 16,1 g de grãos e no copo eu consegui 15,96 g. Coloquei o copo de volta no moedor e depois de umas batidas recuperei os parcos 140 mg que ficaram presos no moedor. Isso, senhores, representa apenas 1,15% de retenção. Que outro moinho faz isso? Resultado na xícara: espresso padrão (nota 8 talvez até 9 porque o Blend Clássico não é um pusta café). A impressão que tenho é que consegui tirar uns 90-95% do que esse grão tem para oferecer em um shot de espresso. Para tirar os 100% precisaria de uma cafeteira com melhor controle de temperatura. Mas sendo absolutamente sincero eu só sentiria a diferença se tivesse tirado os dois shots, um na Aram e o outro na tal cafeteira melhor, lado a lado e ao mesmo tempo. Crema grossa e persistente (só lembrando que a torra é de 30/01!) e um sabor bem equilibrado. Eu já tinha conseguido tirar vários shots nesse padrão de qualidade com esse mesmo grão, usando tanto o Encore como até o Hario Mini, mas com o BM foi rápido, sem suadeira e sem encheção de saco depois. Portanto, tenho espresso excelente em casa que é rapidíssimo de fazer até de manhã cedo (nenhuma cafeteira elétrica profisional bate a Aram nesse aspecto), mas sem cansar ou ter de ficar desmontando moinho para limpar. O BM basicamente aposentou tanto o meu Encore como o Hario Mini, pois ele faz o que os dois outros fazem, mas de forma muito melhor. A consistência de moagem é sempre fantástica, mesmo moendo mais grosso para coados. Ontem a noite moí uns 50 g (no 1v+15 a 1v+20) para V60, mas como estava de noite, nem perdi tempo de tentar fotografar, mas acreditem quando digo que o resultado também foi café moído de forma MUITO consistente. Só não usei ainda para Moka, AP ou FP. O moedor é realmente fora de série, contudo, a base é tão importante quanto o moedor. Sei lá que diabos de ventosa é essa que o Gil usa (não pego na mão de medo de nunca mais descolar), mas as quatro ventosas mantém a base absolutamente imóvel, não descolam de jeito nehum. E olha que a minha bacada é azulejo, acho que em vidro ou metal polido nunca mais descola. Firme desse jeito fica muito fácil usar o moedor, sem ser necessário nada de força - e as torras da Geórgia da Lucca (benzadeus!) sempre são mais para claras do que escuras. O Bravo Mini é simplesmente sensacional, o moinho que basicamente acaba com essa estória de ser preciso moedor específico para um método específico. É um equipamento bonito, robusto e eficiente, e ainda por cima, não depende de luz. Os meus mais sinceros cumprimentos ao Gilberto, pois criou um produto incrível.
  2. Balança 'Inteligente' Voom

    Levamos azar nesse, acho que vai ser nabo para todo mundo .
  3. Cafeteira Aram - O projeto

    Alguma novidade sobre o kit de upgrade? Ou O-rings?
  4. Moka: como eu faço

    Até há uns anos atrás, apesar de eu gostar MUITO de café, eu não sabia fazer café. Achava café de coador e de cafeteira doméstica normal quando muito sofrível, mas adorava espresso, e já então sabia que o que normalmente se costumava tomar como café aqui na República das Bananas e Carnaval era (e é) aquela enganação de café "tradicional". Uma das coisas que eu considerava uma evolução como ser humano seria aprender a fazer um café decente. Porém, não tinha como comprar uma máquina doméstica de espresso, então estava relegado a tomar café bom apenas quando saia de casa. Aí chegaram os cafés premium e a possibilidade de se fazer café bom em casa. Mas o meu problema é que eu não sabia passar café... Nisso descobri o tal do "café italiano". A Moka foi, vamos dizer, minha primeira paixão "doméstica" com o café. Morando do lado de Curitiba, eu tinha acesso fácil a café bom, e finalmente poderia fazer um café decente em casa. Infelizmente no começo me bati bastante com a Moka, mas devagarzinho fui acertando as variáveis para fazer um café gostoso. Parece que agora eu acertei, e vou explicar evolutivamente como cheguei no resultado de hoje, mexendo nas cinco variáveis que fazem diferença no resultado final. 1) Água Básico dos básicos: volume de água. Nas Moka da Bialetti (ou pelo menos nas duas que tenho), existe uma marcação do nível de água por dentro da caldeira, um pouquinho abaixo da válvula de pressão de segurança. Essa que usei nesse ensaio é a de se não me engano "quatro cafezinhos", porém o que importa é que até essa marca cabem justos 200 ml de água. Na minha Bialetti maior, que em teoria é para "seis cafezinhos" cabe 420 ml até a marca. Em teoria seria apenas uma questão de variar a proporção de café e água para em uma Moka grande se fazer menos café, mas na minha experiência é difícil fazer isso, pois você vai perder o parâmetro da 5ª variável (tempo - já explico adiante). Em outras palavras, terá de comprar mais de uma Moka se quiser variar o volume de café. 2) Café Em segundo lugar obviamente vem o café. Começei com uma proporção de 1:10 café/água, e para o meu gosto estou agora usando 1:9. Nesse caso, para os 200 ml da minha Mokinha, usei 18 g do Bob-o-Link (torra do L. Moço). Obviamente isso vai variar de acordo com o café utilizado e mais importante, do gosto do freguês. Eu gosto de café de Moka "espresso-like" (ou segundo meu pai, café que briga para sair do bule ), mas já usei até 1:8.
  5. Material V60

    Só para esquentar o filtro e o PF. Se quiser limpá-lo não adianta tentar lavar o filtro jogando água sobre ele e então deixar escoar, seria necessário enxagua-lo por dentro e por fora. Quanto à comparação da qualidade dos filtros da Hario × Melitta, basta dizer que nunca (e quero dizer NUNCA) tive um filtro da Hario furado, enquanto os da Melitta que uso na Clever encontro mais ou menos 1 filtro a cada duas caixas furados (deixando passar pó para a xícara).
  6. Suporte para Hario v60

    Como por que? Garbo e elegância.
  7. [COMPRO] Moedor Mahlkonig EK43

    Onde que vc põe um trem desse em casa, na garagem e deixa o carro na rua?
  8. Comparação de moinhos

    Indiscutivelmente que não poderá ser chamado de "científico", mas vai ser MUITO útil em termos de orientação geral sobre moedores especialmente para nós hobistas.
  9. Comparação de moinhos

    Usando o PF grande e com o filtro grande é mais difícil, mas com o filtro pequeno, e especialmente se tiver bastante pó, fica mais fácil. Por isso que prefiro mexer com uma colher.
  10. Fiz as contas aqui e o modelo Barista (com relógio de pressão) sai por US$ 399,00 com o frete incluso, o que traduz para R$ 1471,00. CONTUDO, vem por FedEx ou EMS (mais provavelmente), portanto pode colocar mais R$ 883,00 de II em cima. Aí a vaca se encaminhou ao banhado...
  11. Acho que a perda calorífica é mínima, fora que, se for o caso, dá para pôr o PF com o pó já compactado sobre uma superfície quente que esquenta o suficiente. Cazzo, estou muito tentado . Se o @Gilberto prometer fazer um TBD que sirva ali vai ficar difícil resistir. O único porém que vejo é que talvez seja difícil fazer caber uma balança entre as hastes verticais. PS: Como médico, digo: ingerir uma limalha de ferro não mata nem causa crise convulsiva.
  12. Dúvida, qual moedor comprar

    O Hario Slim funciona sim, eu diria até quase muito bem, mas é um trampo usar. Mas até ter o BM foi o que permitiu espresso aqui em casa.
  13. Comparação de moinhos

    O problema do Rao spin é a possibilidade de água "vazar por cima" do papel filtro, indo para a xícara água pura e não solução filtrada.
  14. Cremeira Bialetti

    Funciona bem. NÃO vai fazer leite aerado na consistência do feito em máquina de espresso, mas faz um leite bem espumoso que fica excelente para fazer latte ou até cappuccino sem arte. Para um latte em casa fica melhor (e mais bonito) do que se só usasse leite quente. Só perde para o Aeroccino da Nespresso pelo quesito praticidade, mas ganha no preço.
  15. Cafeteira Aram - O projeto

    Grande @Gilberto! 4 pés e 8 (oito! ) ventosas padrão Asgard. Deus lhe pague! Se for possível me avise que entro em contato para acertarmos a transferência dos sestércios.
  16. Cafeteira Aram - O projeto

    @Bruno Marinho, tentei colocar uma espécie de tapete de EVA embaixo, mas aí ficou "mole" na hora de manivelar, com o copo subindo e descendo. Fora que ficou mais difícil também, pela perda do apoio sólido. Pensei que talvez a minha fosse a premiada, mas vários videos que vi deu para notar que a cafeteira oscila para frente e para trás. Imagino, porém, que a maioria não reclame porque todo mundo gosta de ver o café descendo, então ajusta ela bem alta. Eu como prefiro nao ter lambança coloco ela a apenas uns 50 mm do copo+balança embaixo, e a tal da oscilação vertical se nota bastante. @Burny, não tem como eu deixá-la fixa na bancada. Depois que recebi o BM a primeira coisa que pensei foi nas ventosas Asgardianas do @Gilberto. Aliás, se eu conseguir convencê-lo a fazer 4 pés para mim eu resolvo essa estória da dança .
  17. Cafeteira Aram - O projeto

    Relendo, acho que me expressei mal. Na verdade, o que mais faz a cafeteira oscilar na hora de manivelar é que o "oito" não fica firme na haste vertical. Mesmo atochando o parafuso que regula a altura (e olha que fiz uma depressão na haste da minha, para marcar a altura), o conjunto todo oscila, e como os pés embaixo da base são bem rígidos, a cafeteira dança pela bancada na hora de fazer força. Mexe bastante para baixo e para cima, a ponto que não dá para regular a altura da cafeteira muito rente à xícara, pois bate (e não dá para deixar alto pois faz lambança especialmente no começo e final da extração, respingando por tudo). Só não fiz mais um ou dois furos (opostos) no oito e haste para então parafusar de forma sólida o oito na haste porque a minha furadeira de bancada resolveu se aposentar. E também porque aí ficaria um saco regular a altura quando quisesse usar uma caneca para fazer latte. Duas hastes, uma de cada lado, e na mesma distância do centro que está a haste única atualmente permitiria usar qualquer balança própria para café.
  18. Depois de tantos anos pensei que a Botini tinha resolvido isso .
  19. Cafeteira Aram - O projeto

    Antes de mais nada, perdão por escrever seu nome de forma errada. Não achei em um post seu a grafia correta, e escrevi foneticamente, mas de forma equivocada. Mas vamos lá: 1) Anés de vedação: Sim, como relatei aqui, a cafeteira parou de funcionar e depois de eu desmontar e lubrificar, consegui fazer parar de pingar. Na época não mandei de volta pois não queria ficar de 4-6 semanas sem a cafeteira (quem mandou e recebeu sua cafeteira de volta em menos tempo por favor me corrija), pois voltou a funcionar a contento - depender da ECT para receber ou enviar qualquer coisa é um exercício de paciência de Jó. De início havia pedido só os anéis, mas a resposta era que não dispunham de peças avulsas. Não tem a peça avulsa para reparo mas tem como fazer o reparo? Desculpe, mas não senti muita confiança e preferi eu mesmo ir atrás dos anéis. 2) Base: Não, não é sólida. Uma haste bem estreita suportando uma estrutura onde se vai fazer força precisa ser bastante robusta para não oscilar. Apesar da força necessária para "manivelar" não é absurda, a cafeteira oscila MUITO ao girar a manivela. Se houvesse uma segunda haste isso não aconteceria, ou uma haste mais larga, mas entendo que o aspecto estético pesa aqui. 3) Calendário: Entendo muito bem que aqui no Brasil "é tudo difícil", especialmente em se falando de produzir alguma coisa. Porém a postura "trabalho com calendário de quem produz: quando ficar pronto, vai estar pronto" pode ser interpretada como se der, eu resolvo, ou seja, não é minha prioridade resolver a situação. Pensando na boa imagem do produto/empresa, talvez fosse melhor então não dar prazo. Escrever em um fórum aberto como o CDC e depois não cumprir pode pegar mal. E por último, a experiência e conhecimento reunidos aqui no CDC podia ser de grande valia para vc. Na minha humiulde opinião vc teria bastante a ganhar participando e ouvindo o que esse bando de chatos tem a dizer. Tenho a mais absoluta certeza que ajudaria mais no desenvolvimento do produto do que rasgação de seda pelo Instagram, pois o povo aqui vai usar a produto exaustivamente. Veja a qualidade exemplar e o sucesso que são os produtos Bravo do Gilberto.
  20. Cafeteira Aram - O projeto

    Legal. Mas só uma dúvida: 2 meses usando qual calendário? E estou usando O-ring de borracha nitrílica pois após (demorada) reposta por e-mail de vcs fui informado que não tinham as peças avulsas. Maikon, não leve a mal, a idéia da sua cafeteira é brilhante, mas é necessário melhorar o seu controle de qualidade e o serviço de pós-vendas de forma exponencial. E pelamordideus faça uma base mais sólida porque essa atual é indecente (e olha que bastaria usar duas hastes verticais de sustentação que funcionaria MUITO melhor).
  21. Cafeteira Aram - O projeto

    Fazia isso também (é só subir o êmbolo que pára quase instantaneamente o fluxo). Parei de fazer isso pois tinha de escoar aquele resto de café de um jeito ou de outro para limpar, então simplesmente "empurro" a xícara do espresso com uma outra para captar o resto do café. Aliás, isso é interessante fazer até para ver que coisa horrível que sai ali no final quando se passa muito do BR de 60% - absolutamente intragável e até fedido . O que me faz desconfiar que esse povo que não corta a extração e deixa sair tudo e acha que o shot está "excelente" talvez esteja precisando de um parâmetro melhor .
  22. Material V60

    O melhor de todos é o de adamantium, mas como agora vibranium é a moda, vai ser difícil de achar.
  23. Cafeteira Aram - O projeto

    Na minha, usando o BM, no filtro original já fiz de 10 a 20 g. É só uma questão de regular na moagem (usando o TDB).
  24. Mas faz esse povo entender isso...
  25. Moedor manual MALWANI LIVI no Kickstarter

    Não gostei (nem um pouco) do jeito de tirar o café, precisando enfiar is dedos no meio do pó.
×