Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Murilo Lins

Senior Members
  • Content count

    935
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    8

Everything posted by Murilo Lins

  1. Pessoal, Na ausência de um espaço mais apropriado no fórum para discussões, dúvidas e troca de experiências entre os proprietários e futuros proprietários de máquinas ECM, bem como para os interessados por máquinas de café expresso em geral, achei por bem abri este tópico, tendo em vista o crescimento gradual desta conceituada marca em nosso país. Ontem resolvi fazer a ligação de minha Technika IV Profi WT-WC diretamente na rede hidráulica, objetivando uma melhora operacional no uso do equipamento com o ganho da pré-infusão, a redução do uso de água mineral, tendo em vista a necessidade constante de flashes quando a máquina passa um bom tempo ociosa para um melhor controle da temperatura e deixar de ter a necessidade de enchimento periódico do seu reservatório de água. Quando da execução da ligação direta de água, uma vez que a cozinha do meu apartamento não foi preparada adequadamente para receber uma máquina de café, tive algumas dificuldades e surpresas durante a instalação. A primeira dificuldade foi estética, uma vez que há cerca de um ano e meio fiz uma reforma no apartamento e não queria mais fazer nenhuma quebradeira nele neste momento, então tive que abri mão da beleza arquitetônica deixando filtro, válvula redutora de pressão e cabo flexível para condução da água à mostra. A esposa não gostou nenhum pouco, mas acabou cedendo aos meus apelos. A segunda foi relativa a escolha do filtro e essa foi a menos complicada ficando minha opção pelo filtro 3M Aqualar AP200 (http://solutions.3m.com.br/wps/portal/3M/pt_BR/Aqualar/Home/ProdAqualar/FiltrosAqua/Ap200/). A terceira foi relativa ao controle da pressão da água que seria enviada para a máquina, tendo em vista que meu apartamento encontra-se no 9° andar de um prédio de 14 andares, sendo o último uma cobertura equivalente a dois andares, e o fabricante exige uma fonte de água com a pressão oscilando entre 0 e 1,5 bar. Como tive dificuldade com mão de obra qualificada e não queria correr o risco de comprometer o equipamento, optei por adicionar na ligação direta a instalação de uma válvula redutora de pressão (http://www.asolar.com.br/detalhe-produto.php?id=76), comprometendo ainda mais a questão estética. A válvula por ser bastante pesada vai requerer o uso de uma presilha para segurar o conjunto filtro / válvula que deverei instalar na próxima semana. Por enquanto estou utilizando um calço provisoriamente. Concluída a instalação e ajustada a máquina para uso com ligação direta na rede hidráulica, a pressão da caldeira ao ser ligada oscilou entre 1,0 e 1,5 bar, como exigida no manual e estabilizou-se em torno de 1,25 bar. No entanto, para minha surpresa de leigo na tecnologia aplicada às máquinas de café, observei que o manômetro que mede a pressão da bomba apresentou a indicação de 1,0 bar quando a máquina está desligada ou ociosa, antes era zero, e indicou 10,0 bar de pressão durante a extração do café, anteriormente apresentava 9,4 bar. Como ultimamente não vinha observando as indicações do manômetro da bomba, não sei dizer ao certo se este comportamento passou a ocorrer antes ou depois da instalação na rede hídrica. Como não sou grande conhecedor sobre o funcionamento de máquinas de café expresso em geral e, particularmente, das máquinas ECM, achei que este ganho inicial poderia ser por conta do ganho da pré-infusão, mas ao mesmo tempo a fase de infusão subiu de 9,4 para 10,0 bar o que, creio, não seria normal. Desta forma, peço ajuda com relação a este pequeno ajuste que fiz na máquina no sentido de saber se é normal este comportamento, se pode ter havido algum erro na instalação hidráulica, apesar de ter seguido todas as instruções contidas no manual do fabricante, ou se após a instalação hidráulica seria necessário efetuar um ajuste na pressão da bomba manualmente trazendo-a para próximo de 9,0 bar, uma vez ser normal este incremento de pressão por conta da ligação direta, tendo em vista que as máquinas ECM permitem esta intervenção manual do usuário na regulagem da pressão da bomba. Agradeço desde já a colaboração de todos, Murilo
  2. Vini com relação a Shower Screen comigo aconteceu exatamente o inverso, com a IMS de 200 melhorou a distribuição e passou a ser menos centralizada. Acho que alguns de nós tivemos a mesma experiência positiva com ela. Ouvi relatos que a de 35 é que trazia alguma dificuldade na distribuição sem melhora aparente no resultado final. No entanto, como são opiniões controversas, creio que a experiência de cada um é quem vai definir a mais indicada.
  3. Mostre Aqui seu Cantinho do Café

    Fita de Led com controle remoto ou por celular
  4. Rogerio, havia entendido que você queria os anéis o’rings do grupo E61, mas se for as gaxetas, essas da Cafelatstore são excelentes, já comprei lá e achei bem melhores que as de borracha.
  5. Cafeterias de Recife

    @Muniz temos sim, um grupo local do CdC em Recife, cujo contato se dá através do WhatsApp, rola muita troca de eexperiências e, por vezes, algumas discussões (no bom sentido) bem intensas. Se tiver interesse em participar manda uma mensagem no privado.
  6. @RogerioD, eu costumo comprar no Avola Coffee Systems por um preço bem em conta, mas sempre demora um pouco a chegar por conta da eficiência dos nossos correios. É uma assistência técnica na Alemanha. No entanto, tudo que pedi até hoje chegou, inclusive, estou com um pedido em trânsito. Agora tem que observar sempre o melhor custo X benefício entre o valor dos produtos, o peso total e o valor do frete, pois o frete varia em razão de faixa de pesos. Segue o link: https://www.avola-coffeesystems.de/espressomaschinen-ersatzteile/ecm-heidelberg.html
  7. Balança 'Inteligente' Voom

    Apenas para apoiantes Postado por Voom Works (Criador) Caros apoiadores Sentimos muito pela falta de comunicação nas últimas semanas. A VOOM vem passando por algumas dificuldades em seu desenvolvimento, mas esperamos estar de volta aos trilhos em breve. O que aconteceu? Estávamos muito próximos da conclusão antes do lançamento da campanha do Kickstarter. Trabalhamos com modelos de pré-produção e o software estava muito próximo da conclusão. Estávamos comprando fornecedores para o molde final de fabricação em novembro. Então, quando estávamos rodando, o principal fornecedor do nosso componente principal - o sensor - nos disse que não estava mais disponível (eles haviam prometido anteriormente que essa instância era impossível). Fomos obrigados a encontrar um novo sensor diferente e refazer a estrutura do recinto. Isso também nos obrigou a redesenhar a placa e o molde de fabricação. O Ano Novo Chinês veio e desacelerou ainda mais o nosso progresso, fechando a maioria dos fabricantes por quase um mês. Em uma tentativa de parar o sangramento e resolver nossos problemas da forma mais suave e rápida possível, criamos uma parceria com um grande fabricante de IoT. Essas mudanças na estrutura de capital da empresa, na estrutura administrativa e nos processos legais relacionados têm sido um grande ajuste para nós, mas estamos começando a entender melhor nossa nova situação agora. Ainda estamos no processo de reestruturação da VOOM, mas, com certeza, ela manterá as mesmas características e essência de design com as quais fizemos campanha. Agora que as coisas se ajustaram um pouco, poderemos manter todos mais atualizados com nosso desenvolvimento e status contínuo. Muito obrigado pela sua compreensão e apoio contínuo, enquanto continuamos a trabalhar para trazer o produto que imaginamos para a realidade. - A equipe VOOM
  8. Balança 'Inteligente' Voom

    Gente, alguém tem alguma novidade sobre a balança Voom?
  9. Torrador de Prova Carmomaq

    Pode sim @Fogo ruivo, estarei na mesma condição de @RogerioD, aguardando a finalização do projeto para ter a decisão final, mas o interesse existe.
  10. Torrador de Prova Carmomaq

    Tenho interesse de acompanhar o desenvolvimento do torrador e dependendo do produto final penso em adquirir também.
  11. Xícaras do clube. Compra coletiva.

    Chegou em 100 unidades? Em caso negativo a fabrica faz frações de 50 unidades ou só caixa fechada de 50 em 50 unidades?
  12. Xícaras do clube. Compra coletiva.

    @Fogo ruivo já pensasse o trabalho que vai dar para separar e enviar para cada um? É bom prever um custo adicional com embalagens.
  13. [Indisponível] cafeteira ECM Mechanica IV

    Posta as fotos e as características dela
  14. Xícaras do clube. Compra coletiva.

    Não @Fogo ruivo, o custo final tem que ser repartido por todos. A pergunta que fiz é porque não tinha ficado claro para mim se o preço informado estava considerando o custo do frete para sua casa. Nesse caso terá um custo rateado do frete para sua casa e outro que será individual referente ao frete da sua casa para nossa casa.
  15. Xícaras do clube. Compra coletiva.

    @Fogo ruivo o valor de 104 reais por cada quatro xícaras é o valor na fábrica ou já na tua casa? Pois terás um frete inicial da fábrica para tua casa.
  16. Xícaras do clube. Compra coletiva.

    Vou querer 4 unidades. Enviei dois formulários porque no primeiro esqueci de colocar o nome e o celular.
  17. Tulha Cafeteria

    Parabéns João, sucesso no empreendimento.
  18. A importação de grão verde no Brasil é proibida. Já grãos torrados tem um clube de assinatura em São Paulo que vende cafés ancionais e internacionais com tópico aberto aqui no CdC, conforme o link abaixo: O difícil é a torra ser recente.
  19. Rite Press

    Achei legal também, mas estou me segurando para não gastar mais.
  20. Cafeteira Aram - O projeto

    Rogério, o meu vazou no primeiro uso, mas foi falha no acabamento do porta-filtro. Foi trocar e ficou novo.
  21. Bravo - produtos para café

    Acabei de receber o meu e já o estou utilizando.
  22. O Bravo Mini & eu

    Caro@LUW, apesar de toda sua ansiedade em receber o produto pronto, o que é bastante compreensível, pois esses "brinquedos" novos nos causam algumas expectativas antes e uma certa euforia depois que o recebemos, fazia tempo que não lia um review que passasse tão claramente a qualidade do produto e a felicidade pela sua chegada. Aqui no nosso estado existem diversos produtos Bravos espalhados entre os membros do grupo de apreciadores de cafés especiais, entre eles até alguns profissionais, apelidado de Clube do Café de Pernambuco (mesmo composto por alguns membros também da Paraíba e um jornalista pernambucano radicado no Distrito Federal). Nesse último lote produzido por Gil, para nossa felicidade, mais um bom número de produtos Bravos vieram para Recife. Mesmo já possuindo um Bravo Debut e recebendo agora o suporte do Bravo Mini, pois o Mini eu já havia adquirido há um tempo atrás, ao usá-lo pela primeira vez fica sempre aquela sensação de estarmos bem servidos de moedores e outros itens afins. Gil veio para ocupar uma grande lacuna que tínhamos no nosso país em relação a oferta de bons produtos e acessórios para café. Cabe agora torcer para que a família Bravo cresça e apareça, pois este seria o melhor caminho para a manutenção em alto nível do nosso hobby.
  23. Aniversariante do dia

    Feliz aniversário Márcio!!! Muito anos de vida com bastante cafés pela frente.
  24. Koar, o coador de café pernambucano

    @carlos eduardo, tenho que reconhecer que você é um grande pesquisador e estudioso de café, mas volta-se ao ponto inicial, uma vez que cada inovador defende diferentes nuances na bebida produzida por cada método. Há pouco houve polêmica quanto à Cafeteira Aram ter surgido de uma proposta já existente, mas o Maycon defende que o parafuso central da sua invenção tenha também a função de abrir e fechar a passagem de água, além de fazer pressão sobre o bolo de café. Do meu ponto de vista, também não percebo grandes mudanças sensoriais na bebida final produzida em vários métodos desses e aí ainda entraria o Altoair entre outros métodos que partiu de um princípio comum. Mas o simples fato de alguém se debruçar sobre o tema e propor algo de novo já merece algum tipo de reconhecimento. Porém, como disse no post anterior, nesse ramo temos muitas vaidades, além de muitas invencionices que, no final, servem muito mais para despertar a “febre ruiva” em alguns de nós.
  25. Koar, o coador de café pernambucano

    Concordo em parte @carlos eduardo, pois madame Melitta promoveu o início das extrações com filtros de papel em um novo método que sofreu ao longo dos anos vários aperfeiçoamentos e variações. Se entendermos que nas mudanças promovidas nas extrações com filtros de papel todo o mérito caberia a ela, então o V60, Kalita, Koar e outros não teria a contribuição de mais ninguém. E essa lógica serviria também para as máquinas de café espresso que tanta evolução sofreu ao longo dos anos. Ocorre que o método Melitta há muito tempo deixou de ser o preferido dos apreciadores de cafés especiais, dando passagem para vários outros que foram frutos da inovação. À madame sempre caberá o mérito de ter dado início a esse modo de extração. De fato, isso aconteceu por aqui e a história parece que não ficou bem resolvida. No próprio vídeo um dos idealizadores indica que varios baristas foram consultados. O fato é que, como em muitos setores do mundo real, no universo dos cafés especiais a vaidade e o protagonismo ainda fala muito alto e acaba atrapalhando um pouco o mercado como um todo. De qualquer modo, está aí mais uma contribuição da “Província” que vem fazendo algum sucesso pelas bandas de cá.
×