Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

JoaoW

Senior Members
  • Content count

    224
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by JoaoW

  1. Cafeterias em Uberlândia - MG

    Falando nisso @Miguel de Paula , já fiz em vários métodos aqui em casa o Curto Café com que me presenteaste. Muito gostoso, de vários modos - o que preferi foi a Aeropress. Obrigado!
  2. LINKS da BLACK FRIDAY

    Pô não conhecia a Stanley, fui lá ver comprei uma térmica menor "one hand", estava precisando para servir o café "remexido" (infusão com base no sweet spot e coada no coador de pano) perdendo menos temperatura. Valeu pela dica @Allexlimaa2 !
  3. Fellow Prismo

    Eu tenho umas canequinhas de ágata (esmaltadas) de 70 ml, acho que devem aguentar também... Vamos ver rs... Mas decerto vou fazer uma ou duas vezes só, vai muito café para uma dose. E não tenho moedor pra fazer 20g mais fino que a moka rs
  4. Fellow Prismo

    Tens alguma fotinho ou link para essa canequinha @Vitor Costa ? Fiquei curioso...
  5. Fellow Prismo

    Eu encomendei o meu, mas já pedi pra eles pra adiarem a entrega pra não correr o risco de o carteiro dar com a cara na porta nas férias, já que fico fora pro natal e início do ano... A princípio comprei pensando nesse "espresso fake", mas mal conhecia a aeropress. Meu maior receio é ficar quebrando xícaras e copos por aí, já que umas receitinhas de "aeropresso" que fazia exigem muita pressão... Os próprios caras da Fellow advertem que se for fazer com copo fininho o risco de acidente é grande, então é que precisa fazer força. A propaganda de que dá pra usar um copinho de shot me parece meio estranha por isso, esses copos aguentam? Tenho um da DeLonghi de parede dupla, e se precisar de muita força ali, bau bau... Hoje que já estou mais habituado e conhecendo um pouco mais de café e melhorando meu paladar, acho que o Prismo vai ser bom pra evitar a "girada" do invertido da AP e para ter um filtro metálico (e parece que dá pra botar o papel em cima do Prismo também). Se for isso já está de bom tamanho... Mas vamos ver.
  6. E aí @J. Coffee , a questão da moagem no manual não é tanto questão de força, na verdade até que tenho uma forma física bem razoável rs, é mais o tempo mesmo e a repetição que incomodam um pouco. Gosto do ritual de moer no manual, acho que isso dá uma valorizada em todo o preparo, mas vou até os 9 cliques no Hario Mini, no máximo - média fina, para a moka, que é como gosto. Para coados, aeropress, infusões etc. vou até uns 11 cliques. Mas um dia desses vou dar uma olhada nessa em 2 etapas, a questão só é que para moer fininho ali demora, mesmo levinho, e aí começo a questionar a razão da vida, os porquês do universo, etc rs. Mas de todo modo, com 11 cliques ali estou ficando muito satisfeito e surpreso com a técnica, meu copo térmico está pra chegar agora mas mesmo com recipientes "meia boca" na perda de temperatura, gerenciando vários escaldamentos iniciais, estou tendo ótimos resultados com vários cafés, adotando um tempo total de 13 min (começo a contar depois de mexer umas 20x no início e logo antes de começar a coar, o que deve dar na prática os 14 mesmo), e agitadas a cada minuto. A tendência é só melhorar. E com 11 cliques o coador de pano está segurando superbem os resíduos, então vale a pena e ainda passam uns óleos. E a tendência é melhorar, somente...
  7. E aí @Vitor Costa, é que cabe mais na pitcher rs e queria ver mesmo quanto perde de calor, estou testando mesmo, em condições de guerra rs
  8. Bem, seguindo as dicas estou começando os testes, moagem 11 cliques no Hario (arm and time-friendly), água eu boto fervendo numa pitcher já bem escaldada (não tenho copo térmico ainda, está chegando), medi e dá uns 82 graus de temperatura, aí mexo bastante, e começo a contar. A cada minuto uma agitadinha. Por enquanto estou fazendo com 12 minutos o processo final pra padronizar, coo tudo com um coador de pano fervido, fica bem pouco resíduo. Como estou tentando entender o negócio ainda, fiz com um café bem do meia boca (torra média pelo menos), e com um descafeinado que a torra é mais escura, faço ele na moka comumente e ele tem um amargorzinho no fim. É surreal, o café meia boca fica tomável, o outro decaf sem amargor algum, docinho, algo completamente diferente. Dei pra minha mulher provar o segundo falando "vê se ficou amargo", e ela que tem menos paladar ainda que eu tomou, e mesmo sugestionada pra achar o negócio amargo, falou "olha, está outra coisa, amargo não está não". Quando tiver um copo térmico e reduzir a perda de calor e usar um café melhor, então... Vai ser o ouro essa parada rs
  9. Cafeterias em Uberlândia - MG

    E aí @Miguel de Paula e @imigrate ! Foi ótimo nosso papo e encontro ali no Café Calin com o Maurício! Uma coisa boa do café, além de propiciar ótimas experiências sensoriais, é esse lado social, agregador. Foi um prazer conhecê-los pessoalmente! Bem, agora podemos usar esse tópico aqui para eventualmente marcar outros quando o pessoal estiver na área... O Maurício falou também que vai entrar no fórum, falar dele para outros apreciadores do café, então aos poucos vamos criando uma tradição, quem sabe...? Acho que podemos chamar esse de I Encontro da ala uberlandense do Clube do Café, pelo menos não sei se já houve outros rs
  10. Cafeterias em Uberaba-MG

    Bem, percebi que fechou pelos outros tópicos e buscas na net... Estou pensando em passar um dia em Uberaba nas próximas semanas, alguém saberia indicar uma cafeteria legal lá atualmente...?
  11. Cafeterias em Uberlândia - MG

    E aí @Miguel de Paula ! Olha, acho que se vocês consumirem bastante bolinho (eu sou diabético pra mim complica rs), tomarmos vários cafés deles, et. não vejo ele se opondo a fazer uma extração desse Lab Orgânico , aí já experimenta junto rs O cara é gente boa.
  12. Cafeterias em Uberlândia - MG

    E aí @Miguel de Paula e @imigrate , confirmei com o Maurício do Café Calin que ele abre normalmente esse sábado, 12h às 18h. Sugiro umas 16h45, acho que aí conseguimos conciliar com outros compromissos...? De minha parte confirmo, já acertei as coisas aqui em casa rs
  13. Valeu @J. Coffee , deu um norte legal! Vou tentando esses dias quando tiver um tempinho relax.
  14. E aí pessoal Estou nessa do café especial há pouco tempo, mas logo aprendi a reconhecer o sabor (ou "sabor") das torras escuras, o gosto de cinzas, amargor mais desagradável, falta de sutileza e complexidade de boa parte dos grãos com essa característica etc. Minha preferência está mais nas torras médias e suas variações, não excluindo torras médias escuras etc. Aqui estou falando da torra escura meeeesmo, aquela carvãozão. Coisa tipo café de supermercado ou torrada demais pro paladar de muita gente. Pelo menos no que diz respeito aos métodos desse fórum, "coado e afins" - coado, aeropress, prensa, moka, etc. - deixando de lado os espressos, que para mim são outro mundo e não entendo nada. Então, passei a evitar comprar. Mas de vez em quando a gente compra um café que achando que é uma coisa e é outra - torra escurona -; ou então pegamos fama de sermos "os caras de café" da família e somos os encarregados de fazer aquele melittão ou pior, na torra "chocolate do negresco" ou coisa assim. E aí temos que tornar o negócio bebível. Em vez de jogar o café fora, eu encaro como um desafio e tento ver o que pode ser feito para, dentro das possibilidades, fazer um café melhor para mim e para os outros nessa situação. Mas não é fácil. Aí pensei nesse tópico para saber o que os foristas fazem para tentar "salvar" ou "melhorar" a bebida nessas situações. Não vale dizer que é pra jogar fora, que não tem jeito etc... Vá dizer isso para o sogro ou tio... Não é uma opção rs Hoje na pressca, que é basicamente uma prensa francesa, consegui uma bebida que achei melhor, menos intensa e menos amarga, reduzindo sensivelmente o tempo de infusão (2min30, costumo fazer 4 min), moendo mais grosso (14 cliques no Hario, costumo fazer 12), e com água menos quente (depois que a chaleira ferveu em 97 graus, deixei descansando 2 min, costumo deixar 1 só). A BR foi de 7% (24g de café para 350 ml da Pressca), que costumo usar. Depois que comprar um termômetro de espeto pretendo detalhar mais a temperatura. E talvez possa mexer aumentando a quantidade de café pra compensar a menor extração. Mas achei ok. Na moka, dá pra fazer alguma coisa? Ou só moer mais grosso e ver se fica bom mesmo o café mais "ralo"? (na moka costumo fazer com 9 cliques e gosto muito) E na aeropress, no coado, algum macete salvador? Sei que é o tipo de tarefa que não deve agradar muito o pessoal aqui do Clube do Café, mas às vezes é a missão que se impõe diante de nós, e gostaria de ter mais recursos para enfrentá-la rs... Então a ideia é essa, como lidar com torras muito escuras de modo a torná-las palatáveis?
  15. @J. Coffee , esse método é muito interessante. Já havia começado a pensar as coisas de outro modo ao me deparar com o método do @Lisboa Santos , indicado pelo @Vitor Costa , acho que realmente muda muito no lance das infusões. Estou tentando adaptar uma técnica para um café mais "de bule", seguindo algumas das indicações dessa técnica mas de modo que seja um pouco mais simples e viável pro meu equipamento. Simplificando, é um café em infusão e depois coo ele no coador de pano, aí passam os óleos - de que gosto - e tem deixado beem pouco resíduo. Também não faço uma moagem tão fina, para evitar um pouco essa coisa dos resíduos, mas também para evitar distensões musculares, já que uso o Hario Mini, e se for fazer café para mais gente - tipo 500 ml - seria muito tempo, impraticável. Fica uma moagem tipo 11 cliques, um pouco mais fino que uso pro coado geralmente. Entendi que o alvo do sweet spot é chegar no ápice de cada café, mas gostaria de saber se você acha que há um tempo de infusão que você julga que tenha um resultado "razoável", mesmo considerando grãos diferentes, datas de torras diferentes etc. Por exemplo, mesmo não sendo a ideal para cada grão, se você fosse fazer um café "às cegas" buscando um resultado aceitável, qual seria o tempo que você tentaria? 9 minutos? Meu interesse é chegar num procedimento que me permita fazer um café legal respeitando essa infusão mais longa. Imagino que no meu caso, com moagem um pouco mais grossa, poderia chegar perto dos 10, 11. De todo modo agradeço aos citados acima que estão de fato estudando experimentalmente essas técnicas de infusão longa, que são realmente revolucionárias, mudam paradigmas mesmo... Isso é um caso típico que ilustra aspectos da discussão do tópico aberto pelo @Álvaro Ford sobre hobby e ciência, de como os aprendizados dos foristas mais adeptos do lado "científico" do hobby contribuem e muito com os "semileigos" como eu, pois mesmo sem seguir as coisas à risca, temos acesso a novas ideias que mudam nossos costumes também.
  16. Cafeterias em Uberlândia - MG

    Pô @Miguel de Paula , demorou, organizar um "mini-encontro" uberlandense então! Se puder trazer um 250g em grãos do Especial tradicional deles, torra média (amendoada), seria legal, vou experimentar! No fim de semana, pelo menos no sábado, acho que o Café Calin abre das 12h às 18h, podemos organizar algo tipo de tardezinha, talvez? Umas 17h. Aí podes experimentar uns cafés da Nuance que o Maurício faz lá. Mas vou ver antes com a minha mulher como está nossa programação no fim de semana pra confirmar rs
  17. Café: Hobby x Ciência

    Estou começando apenas este ano, e comecei meio sem refletir, estava insatisfeito com a minha moka, que vivia engripando. E uma hora comecei a ter problemas com cafeína, acho que estava tomando muito, resolvi tomar café descafeinado o tempo todo (rs já passei a tomar só de noite, tem muito café bom por aí pra tomar só descafeinado), e aí fui atrás de aprender quais era bons, como fazer do melhor modo na moka, e quando fui dar por mim, já estava com moedorzinho (manual), agora tenho aeropress, pressca, duas mokas, uma cafeteira napolitana, etc. rs. Foi meio sem pensar, fui gostando do sabor e das diferenças, aprendendo esse mundo novo do café, e aí fui me interessando. Além disso, como tudo quando percebemos que "levamos jeito pra coisa", isso dá uma certa estimulada. E comparando com os cafés por aí, cafés de amigos, de cafeterias, etc., rapidamente fazemos cafés muito gostosos com equipamentos caseiros, as pessoas comentam, percebem a diferença, muda-se de hábitos, e com isso o hobby ganha força. Tem também o lado "arte", os macetes, superstições, jeitos de organizar as coisas... Tirei isso um pouco ao vivenciar os modos tradicionais de fazer café, como na Itália, que os caras não lavam moka, são cheios das discussões sobre se faz assim ou assado, etc. O lado "ciência" ajuda a gente a melhorar nossos cafés. Não sou um "cientista", mas um "consumidor da ciência do café", de maneira leve. Não faço a coisa rigorosa, não peneiro ou uso águas diferentes etc., mas volta e meia aprendemos ou tentamos coisas que nunca pensaríamos, sugeridas pelos textos e foristas. Então acho que os dois perfis são importantes, se complementam, conforme as preferências de cada um. E o café é bacana também porque o hobby tem um lado social, ao tomar a bebida com outras pessoas, convidados, mas também prepará-la junto delas, se enriquece o convívio, criam-se histórias, momentos. Eu gosto muito disso. Desde que aprendi a fazer café de verdade, sempre que algum amigo vem aqui em casa, ou casal de amigos sei lá, sempre posso oferecer alguma coisa, fazer um café diferente, isso alivia um pouco pra minha mulher e já cria uma "razão" ou "pano de fundo" pro evento. É bacana. Acho que meu lado é mais por aí, um hobby "arte" informado pela ciência, mas com a finalidade principal de fornecer boas experiências, cafés e momentos para mim, família e amigos.
  18. Café sem açucar.

    Oi @Batavera , eu nunca tomei café com açúcar porque meus pais não tomavam.. E sempre tomavam espresso. É questão de costume. Se não pode açúcar, pode adoçante? Por exemplo um quadradinho de chocolate diet (ao leite ou meio amargo), ou um quadradinho daqueles tabletinhos de doces de leite diet, ou colher de doce de leite diet. Vai ter sucralose ou coisa assim, aí se for pelo açúcar não bagunça a dieta.
  19. @Vinicius-RS , após pensar no que tu, o @ronaldom1 e o @Freedom Force disseram, me dei conta de que há alguns meses, meio coincidentemente com a entrada no mumdo do café, descobri que tenho diabetes autoimune. Desde então tenho uma dieta com zero açúcar (sacarose, não os açúcares naturais dos alimentos). De fato hoje percebo vários tipos de doce e tenho um paladar bem sensível a esse sabor, o que não ocorria antes; tomo cacau puro com água e acho doce; leite puro e acho doce, etc. rs. Realmente acho que pode ter a ver com sensibilidade e limiar de cada um. Mas percebi também que tomando hoje um café/grão específico que tomei meses atrás, hoje percebo outras coisas. Então assino embaixo, o negócio é tomar muito café e curtir a jornada rs
  20. @Allexlimaa2 o que faço pro açúcar é recomendar que a pessoa experimente antes de adoçar, pois o "café é diferente", e aí ela "poderá saber qual a quantidade mais adequada de açúcar, se quiser". Aí pelo menos ela experimenta sem rs, e muitas vezes bota menos, e acaba sentindo mais do sabor. É um modo de abrir a porta sorrateiramente né...
  21. Mostre Aqui seu Cantinho do Café

    Taí o meu cantinho, simples e singelo... Minha mulher mandou fazer pra mim essa plaquinha imitando o "Fran's Café", no caso "Fer" é referência a meu filho...
  22. Bom tópico, essa é uma questão pertinente...! Acho mais fácil conquistar os paladares dos "leigos" (tsss como se eu fosse o entendido) com preparos de café especial com técnica em métodos mais "fortes", como a moka ou a FP (eu faço na pressca com BR de 7% e 4 min de infusão). Ali o pessoal que provou meu café em casa não o achou fraco, achou diferente, mais gostoso, etc. Minha mulher embarcou na onda, quando fui fazendo coado, pressca, AP, ela logo notou a diferença, e pra minha felicidade parou de botar o açúcar no café completamente. E reclama de outros cafés. Então ali valeu rs Alguns amigos também percebem a diferença, mas um deles gostou mesmo quando fiz uma torra escura amargona. E outros elogiam o café, mas mais por educação, mas se eu olhar pro lado eles fazem um coadão selvagem com café melitta e uma tonelada de açúcar. Então algo me diz que, tendo a escolha, preferem o amargão... Acho que depende de a pessoa estar aberta a essa nova experiência e a "ressignificar" o que é o café, seu ritual, seu sabor. Para quem só curte o café pra ficar acordado, curte aquela "tinta" pra encarar o dia, mete um açucão para o café ficar parecendo um doce líquido quente, vai ser difícil. Se, por outro lado, a pessoa aprecia parar, sentir sabores diferentes em cada grão e método, ter prazer com os próprios sabores do café - e isso será algo novo para ela, como foi para nós em algum momento -, aí pode "cair a ficha" e curtir os cafés especiais. Outros em princípio vão estranhar, mas se tiverem a oportunidade de irem tomando, vão desenvolvendo o paladar e aí não tem volta. Como já disseram aí, o negócio é fazer o que curtimos, e tentar, se possível, arregimentar mulher, amigos, etc. para termos alguns companheiros de experiência, que torna o hábito social e mais gostoso. Aí já está bom.
  23. Tem alguns cafés que chega sim, bem docinho. Semana passada mesmo tomei um espresso da Nuance que servem numa superautomática num restaurante em Araguari-MG, que estava um mel mesmo. Uns cafés do Mário (Seleção do Mário) também puxam pro doce, o melaço de cana então, puxa muito. Fora isso, algumas receitas na Aeropress acho que favorecem a doçura. Não são todos os cafés "doces" que são pronunciados assim, mas dá pra notar sim, e não sou grandes coisas... Talvez mudar os grãos...?
  24. Engraçado como a gente vai mudando mesmo essa coisa do paladar. Uns tempos atrás tomei o frutado da Unique, achei gostoso, ok. Não entendia nada de amargor, acidez, etc. Não entendo ainda aqueeeelas coisas, mas agora comprei de novo, tomei de novo, achei gostoso, mas... Cadê acidez? Esse não tem nada, faz um pouco de falta mesmo. Uns tempos atrás eu não identificaria nada, ia ser "gosto" ou "não gosto". Bacana.
  25. Pressca, Alguém conhece?

    E aí @Vitor Costa , hoje de noite fiz ali o kökekaffe método Lisboa light - 9 cliques, média fina - e dei uma peneirada com o filtro da pressca. Como fiz numa pitcher, fui despejando o liquido devagarinho, com isso o grosso do café fica na pitcher, e assim que vi que começou a vir o café mais grossão, com pó, parei. Passaram uns resíduos, mas nada anormal comparado com a pressca, é só deixar o último gole. A receita do Lisboa é boa mesmo... E fiz com o bruzi descafeinado da Nossa Casa Cafés / Daterra, até hoje não achava que ele ficava muito bom na pressca/köke, uso ele mais com moka e algumas receitas mais restritas de AP, realmente o a técnica revelou mais sabor nele. Quanto a coar, talvez no coador de pano vá mais rápido e fique um meio termo, um pouco mais limpa...? Não sei, desconheço. E a pressca invertida como falaste deve funcionar sim, mas aí talvez fique exatamente a mesma coisa o resultado que a pressca "normal", não? Rs Ou achas que o vácuo pode fazer diferença e segurar alguma coisa, por ficar mais compacto, algo assim?
×