Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Search the Community

Showing results for tags 'torrador'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Café
    • Leitura Obrigatória
    • Café Torrado
    • Torra Doméstica
    • Cafeterias
    • Quando o Assunto é Café!
  • Equipamento
    • Técnicas e Dicas
    • Moedores
    • Máquinas de Expresso
    • Coado e afins
  • Dúvidas de Iniciantes
    • Dúvidas de Iniciantes
  • Outros Assuntos
    • Classificados
    • Fora de Foco
  • Informações
    • Novidades e Sugestões
    • Tutorial
  • Fotos, Fotos, Fotos...
    • Fotos, Fotos, Fotos...
  • Buscafé

Found 14 results

  1. Como a torra doméstica tem crescido bastante no CdC (basta ver o sucesso cada vez maior das compras coletivas) e considerando que o mercado nacional é bem carente de equipamentos para esse fim, fiquei curioso em ver como o pessoal tem se virado pra torrar café em casa, seja com equipamentos importados (a duras penas) ou com adaptações em pipoqueiras, fornos, máquinas de pão, panelas etc. Então, inspirado no tópico Mostre Aqui o Seu Cantinho do Café, que é mais dedicado ao preparo do café (máquinas moedores etc.), achei legal abrir um Mostre Aqui o Seu Cantinho de Torra dedicado exclusivamente às nossas "ultra-nano torrefações" domésticas. A ideia aqui não é detalhar torras realizadas (pra isso já temos o Torrando hoje...) mas sim postar fotos do nosso cantinho de torra, muitas vezes adaptado, improvisado e ou itinerante dentro de nossos lares. Pra inaugurar vou postar o meu cantinho, que já teve várias configurações, com equipamentos e adaptações diferentes, em casas diferentes, mas que infelizmente não tenho registro fotográfico de todas. Por ter começado a me aventurar na torra doméstica com a PopFun e ter ficado com ela por muito tempo, segue primeiro a única foto (péssima) que tenho mostrando um plano mais geral do cantinho quando usava ela, em sua última configuração (com Arduino + Roastlogger): Atualmente continuo torrando na sacada do apartamento, mas agora não mais no chão e sim em cima do meu "home office" (é só uma escrivaninha mesmo). Uso um Philco Air Fry adaptado, com controle de calor pelo Arduino + Roastlogger, deixo um ventilador ligado atrás pra não aquecer demais e derreter as partes plásticas da carcaça (ainda tenho que resolver isso) e fico com uma lanterna em mãos pra checar visualmente os grãos durante a torra: E completa o cantinho o resfriador que fiz usando uma caixa de MDF (roubada da esposa) com a tampa cortada + tela de uma peneira pra feijão + ripas de madeira, para ser usado com o aspirador de pó:
  2. Olá pessoal do Clube. O forno que foi originalmente desenvolvido pelo Torres e depois posteriormente modificado pela galera do clube e que eu também depois fiz minhas próprias melhorias foi uma das atrações no Jamboree SP desse ano. Nosso estande dos inventores esteve lotado em muitos momentos para ver as invenções maravilhosas do Gil, o magnífico Bule do Lipe, O fabuloso STC do Torres comandado pelo Mestre Igor e o forninho do Clube, do qual apelidei o meu carinhosamente de Brothers Coffee Roaster. Eu não estava vendendo o forno lá, mas se tivesse 50 unidades teria faltado ainda. Muita gente lá me deu o contato pois queria comprar o forno depois, porém sai numa correria enorme e esqueci algumas coisas na minha mesa, o Igor pegou tudo pra mim, mas os cartões do pessoal que queria comprar o forno deve ter ficado lá por cima de alguma coisa e com isso não consigo contatar essas pessoas mais. Por isso vou colocar as últimas unidades que tenho do forno a venda aqui no Clube. Tomara que algumas dessas pessoas que tanto queriam o forninho estejam vendo esse post. Como alguns aqui sabem comprei cerca de 24 fornos na promoção que teve, e depois ainda comprei mais alguns fora da promoção do qual paguei 3x mais. Alguns para estocar peças pro meu próprio forno, alguns pra amigos queriam o forno e que depois acharam que torrar seria difícil e desistiram, e então decidi montar todos os fornos que tenho aqui sobrando e colocar a venda por um precinho bem justo. Só uso materiais de alta qualidade nas modificações, as chapas de aço inox usadas são de grau alimentício, compro direto de uma empresa que só trabalha com esse tipo de inox, depois corto e moldo as peças todas a mão. Eu tinha cerca de 24 fornos para vender, já vendi uns 10. Tenho agora cerca de 10 fornos para vender pelo preço de R$350,00, e tenho 4 fornos que terei que vender por R$ 500,00(serão os 4 últimos) pois como disse ali em cima, foram os fornos que paguei quase 3x mais fora da promoção. Passo duas semanas mexendo em 5 fornos de cada vez que ficam em cima da bancada, modificando e testando cada item, sistematicamente. Nenhum forno sai da bancada sem ter sido testado cada item da minha lista de modificações. Modificações feitas no Forno - Retirada do Timer do Forno original No lugar é colocado o Dimmer que vai controlar a potência das resistências do Forno - Colocação de um Dimmer Bivolt 10A 2200W/220V – 1200W/110V Com o Dimmer é possível controlar o calor dentro do forno e construir perfis de torra. -Colocado duas resistências iguais, pois o forno vem com duas diferentes de fábrica Segundo um especialista isso melhora a performance e ajuda a não queimar tão fácil. - Colocação de um botão Liga/Desliga diretamente no motor que gira o tambor dos grãos Com isso podemos desligar o motor antes de retirar o tambor para adicionar os grãos, evitando forçá-lo. - Alinhamento do eixo do motor se necessário Alguns Fornos vem com o motor desalinhado, fazendo o eixo girar torto podendo travar com o tempo. - Colocação de 6 aletas de aço inox de 0.4mm dentro do tambor (medidas: 10 CM larg. X 2 CM Alt.) As aletas de aço terá a função de remexer o café dentro do tambor - Colocação de uma chapa de inox de 0.6mm na frente da resistência superior para evitar “Scorching” (Medidas: 24CM larg. X 2CM alt.) – Evita que a resistência superior que fica próxima dos grãos os toste. - Retirada do termostato que fica entre as duas resistências do lado esquerdo do forno Como o usuário vai controlar o calor e tempo o termostato original do forno precisa ser retirado - Retirada do fusível que está ligado a alimentação da resistência inferior do Forno. Esse fusível tem a função de cortar a energia por segurança caso a temperatura ali chegue a 190 graus - Adição de um furo do lado esquerdo do forno para colocação de um termômetro Com um termômetro podemos saber a temperatura média dentro do forno e construir perfis de torra Informações Importantes *O Forno pesa cerca de 5,5KG sem a caixa. *Todos os fornos que possuo são 220V *Todos os fornos são enviados com seguro *Envio o forno com um manual que escrevi com um breve passo a passo de como usar e um guia sobre como torrar pela primeira vez para iniciantes. *IMPORTANTE: Darei todo suporte que eu puder dar a quem comprar e direi tudo que sei e que descobri sobre o forno, enfim ajudarei em tudo que puder, porém não dou Garantia do forno por motivos simples de que não sou assistência técnica do forno e por isso não possuo peças para reposição do mesmo e uma vez que é preciso abrir o forno todo para modificá-lo o mesmo já perde a garantia no ato. Meu lucro em cada forno é mínimo, o faço por hobby e porque tenho tempo disponível para isso. Contabilizando todos os gastos com forno, fretes de tudo que compro, peças usadas, gasolina que gasto pra cima e pra baixo correndo atrás de tudo, meu gasto em cada forno é de mais ou menos R$250,00. Conto com a compreensão de todos. *Quer ver o forno em ação? Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=MN18tNvPdjA&t=962s *Terei 5 fornos para vender de cada vez, depois só terei mais depois de duas semanas pois monto devagar, testando item por item. Dessa leva de 5 um já foi vendido, por isso no momento tenho 4 a pronta entrega. Preço: R$ 350,00 + Frete ( tenho contrato com os correios, o preço do frete é mais em conta) Posso colocar no Mercado Livre, mas em caso de parcelamento o site vai cobrar juros. Muito obrigado pela oportunidade. Fornos a Pronta Entrega no Momento: 3 Unidades Fotos:
  3. Pessoal, estou vendendo a minha pipoqueira modificada, já com dimer, e o meu forninho comprado do Beto. 1) Pipoqueira com dimer (110V) - R$100,00 - usado somente para torrar 500g de cafe - depois comprei o forninho. 2) Forninho do Clube do Cafe (Brothers Roasters - Roberto) (220V)- R$350,00 - comprei há cerca de 2 meses e só torrei 1,5Kg de cafe. O preço é o original que paguei por ele. Esta novo e funcionando perfeiramente. A razão da venda é que não tenho tido tempo de torrar cafe e está dificil conseguir bons cafes verdes aqui em Curitiba. Comprando pela internet o frete custa muito caro e muitas vezes os grãos não são essas coisas. (bebida dura) Fiquei chegado de um torrador de uma cefeteria aqui de Curitiba e tenho acompanhado algumas torras em torrador profissional e isso já tem suprido a minha curiosidade. Acabo comprando diretamente deles os cafes já torrados. Quem tiver interesse, me chama por Whats que envio fotos. Os anuncios eu crio depois no ML para facilitar o calculo do frete. Quem for de Curitiba pode retirar em mãos. FRETE POR CONTA DO COMPRADOR. (41) 9 9243 0905.
  4. Em 2014, o Guilherme Torres - mais conhecido aqui como Guilherme TorrAs - teve a brilhante ideia de transformar uma fritadeira sem óleo elétrica em torrador de café. Algumas pessoas do fórum adquiriram o torrador já modificado - batizado pelo Guilherme de “GTCR-F1” - , e o sergio.m acabou criando um tópico para os donos do forno conversarem sobre ele. Só que o Guilherme acabou mergulhando de cabeça no aprimoramento dos torradores, culminando no desenho e fabricação de um torrador por completo, o “STC 2.0”, que é um torrador de prova em um patamar totalmente diferente do que temos com a Kitchen Art. No começo desse mês, o beto-o (Café dos Brothers) descobriu uma oferta iiiiimpeeeerdííível da fritadeira no Mercado Livre, pela loja oficial da Philco e publicou na nossa seção do “Buscafé”. Na versão 220V, ela está sendo vendida por R$50! Muita gente aproveitou e garantiu a sua, mesmo sem ter muita certeza de como modificá-la! Por isso, o Rodolfo e eu resolvemos, em conjunto, coletarmos as dicas do tópico original e sintetizarmos aqui, a fim de dar um novo fôlego àqueles que desejam entrar nessa brincadeira e facilitar a vida na hora de colocar a mão na massa! Apesar de resumirmos ao máximo, o tópico original já tem 20 páginas, então não tinha como esse texto ficar muito curto. Se quiser saber dos detalhes e da evolução do projeto, sugerimos a leitura do tópico do “GTCR-F1”. A fritadeira em si é péssima para o que se propõe. Provavelmente, por isso, para nossa sorte, a Philco está liquidando o estoque. E sorte a deles que tem esse bando de doido comprando o produto com outra finalidade e que não vai ficar reclamando depois! O equipamento original também é ruim para torrar café. Mas com pequenas modificações é possível transformá-lo em um torrador razoável! O custo das modificações variam de R$60 a R$200. Limitações Por se tratar de uma baita gambiarra, o forno tem suas limitações. A quantidade sugerida de grãos verdes por lote é de 150g-250g. Realizar torras seguidas é um problema, porque gera um sobreaquecimento que pode derreter peças plásticas. Ou se utiliza uma ventoinha para aumentar a capacidade de resfriamento, ou então basta dar um intervalo entre uma torra e outra para que o equipamento se resfrie. Ainda assim, problemas acontecem. Em tempo, esse tópico é apenas um relato a respeito das alterações que as pessoas fizeram. ATENÇÃO: Se você vai fazer esses ajustes, os faça por sua conta e risco. Eletricidade pode ser perigosa e pode matar. Tipos de modificações Existem basicamente 3 possibilidades de modificações: Analógico: usando dimmer para controle de potência e termômetro de espeto para ler a temperatura. Tudo 100% manual. Semi-digital: usando o dimmer para controle de potência e, ao invés do termômetro, utilizar o Arduino com termopar para leitura de temperatura, possibilitando traçar o perfil em tempo real no RoastLogger. Digital: sem dimmer e com todo o gerenciamento de temperatura pelo Arduino e RoastLogger, com controle de potência via SSR e leitura por termopar. Ajustes estruturais Pela experiência da maioria, a modificação mais básica e crucial é a de incluir aletas no tambor, para que o café seja revirado dentro do forno. À propósito, vamos passar a chamá-lo de forno, já que não esperamos que o café seja frito dentro dele! Voltando ao assunto, outra modificação essencial é bloquear a resistência superior com uma chapa metálica (escudo), para que a proximidade com os grãos não acabe por chamuscá-los. A primeira modificação se dá porque o giro do tambor é muito lento e a segunda porque o sentido do giro faz com que os grãos se aproximem demais da fonte de calor. Há quem tenha mexido/trocado o motor para aumentar a velocidade e inverter o giro, porém é mais complexo de fazer, já que é preciso bolar uma solução para que a engrenagem do tambor não fique pulando e girando em falso. Para as aletas e para o escudo, será preciso uma chapa metálica. Alguns usaram chapa de calha, outros chapas de alumínio. Só não funciona a chapa de latinha de alumínio, por ser muito fina. Para cortar, se não tiver tesoura própria, a dica é usar tesoura de cozinha, mas corre-se o risco de estragá-la. Além disso, mais algumas modificações são indispensáveis, mas agora há que se decidir entre uma opção ou outra, de acordo com as possibilidades e expectativas de cada um. Controle do aquecimento O controle do aquecimento pode ser analógico, através de um dimmer, ou eletrônico, através de um SSR+Arduino. Em ambos os casos, o operador deve indicar manualmente a potência utilizada pelas resistências no momento. A diferença é que de modo eletrônico, é possível registrar automaticamente os parâmetros de potência utilizados ao longo da torra, e também possibilita o controle de forma automática da potência para atingir uma temperatura alvo, através da utilização de um controle PID pelo computador. É preciso fazer duas pequenas modificações para implantar o controle do aquecimento. Deve-se retirar o botão lateral com o timer (ainda que seja possível mantê-lo, não faz muito sentido usar esse timer com o torrador). E deve-se retirar/descartar o termostato original. Leitura da temperatura Há duas maneiras de fazer a leitura da temperatura durante a torra. A mais fácil é simplesmente colocar um termômetro espeto. O outro jeito, é através da leitura eletrônica por um termopar+Arduino. Mais uma vez, o modo eletrônico tem a vantagem de possibilitar as leituras diretamente no computador ao longo da torra e servir de subsídio para o controle PID funcionar. Parte eletrônica Quem optar por alguma alternativa eletrônica, a saída é utilizar um Arduino para servir de interface entre os sensores de temperatura, o SSR e o computador. Apesar de parecer um bicho de sete cabeças, a montagem da parte eletrônica não é tão difícil, já que há bastante material disponível sobre o assunto na internet. Só exige mais tempo, paciência e um gasto um pouco maior. RoastLogger Para utilização com o computador, o software mais utilizado é o RoastLogger. Com ele, é possível registrar os parâmetros utilizados durante a torra, permitindo manter um histórico do perfil de torra e possibilitando reproduzir esse perfil depois. O software também conta com um controle PID próprio. No caso da torra controla pelo PID, a experiência do pessoal do fórum é que a fase até o primeiro crack pode ser feita utilizando o PID, porém depois disso, o pessoal acha melhor controlar manualmente. No RoastLogger, o operador pode optar por deixar a torra em automático ou assumir o controle manual. Para isso, basta utilizar a barra deslizante que regula a potência de aquecimento. Custos O mais barato é manter o torrador todo analógico. O custo seria do dimmer (~R$40) e do termômetro espeto (~R$18). Na solução eletrônica, o custo seria o Arduino (~R$30 o Nano), SSR (~R$30), termopar (~R$15), interface de leitura do termopar - MAX6675 (~R$25). Ou seja, ~R$58 o analógico e ~R$100 o eletrônico. Soma-se a isso, o frete de cada compra.
  5. Fresh roast SR 700

    Ola Pessoal ! Alguém está usando o fresh rost SR 700 ?
  6. galera, boa tarde mês passado comprei uma pipoqueira de um membro aqui do forum, porem esqueci de verificar se era 220 v ( tudo aqui na minha cidade é 220) fui mexer nela esse fim de semana e vi que tinha feito besteira, vou repassar a pipoqueira, R$ 50,00 + o frete. abraços
  7. Agora que já temos mais de um torrador com sensores parecidos e comportamentos semelhantes, já dá para começar uma troca de informações a respeito de logs. Para tanto, vou disponibilizar um link de minha pasta de logs do ONEDRIVE. Lá da para acessar tanto os logs do protótipo, como também da atual versão 2.0. A partir disso, podemos trocar idéias, sugerir novas abordagens. Em suma, compartilhar informações. Seguem os links: PROTÓTIPO (Minha atual versão, por enquanto) STC 2.0
  8. Boa tarde pessoal, sei que já tem um tópico bem volumoso sobre o forno Philco. Resolvi abrir um tópico separado para nao poluir aquele, já que é um modelo diferente e o projeto talvez fique diferente tambem. Tenho um forno elétrico best com o tal espeto giratório para rotisserie. Forno de 1800 w, 4 resistencias; 2 em cima e 2 em baixo ( aprox 450 w cada), controle de temperatura ate 250o...resistencias superiores e inferiores com acionamento individual. Tópicos ja existentes aqui no CdC que estou usando como base: http://forum.clubedocafe.net/index.php?/topic/371-forno-eletrico-digital-philco-rotisserie-32-litros/ http://forum.clubedocafe.net/index.php?/topic/26-torradores/ http://forum.clubedocafe.net/index.php?/topic/1365-fazendo-um-controlador-de-temperatura-com-arduino/ Topicos externos: http://labdegaragem.com/forum/topics/arduino-controlando-e-monitorando-torra-de-caf https://circuitar.com.br/projetos/forno-pid-edison/ Minhas idéias iniciais: - Fazer um cesto para usar no espeto giratório da rotisserie ( vou verificar se é mais viavel que importar o que o pessoal usou no philco) - Adaptar motor para maior rotação ( o atual é algo de 4 rpm ) - Adaptar uma ventoinha para auxiliar na circulacao do ar e no resfriamento ( ja tenho o projeto de uma usada em uma forja de facas feita com ventilador de automovel) - Uso de arduino para controles Para o arduino o Guilherme ja colocou uma lista do que precisa no topico sobre controlador http://forum.clubedocafe.net/index.php?/topic/1365-fazendo-um-controlador-de-temperatura-com-arduino/page-6#entry34053 E o que mais aparecer.... Esse é só o tópico de abertura....já coloco mais detalhes, fotos e desenhos. Update: Meu objetivo com esse tópico: tentar fazer um torrador doméstico razoavel, usando o que ja tenho disponivel ( forno, ventoinha, soprador termico, arduino....) e com o menor investimendo extra possível Topico inicial atualizado as 15:47 de 28/09 com adição de mais dados.
  9. Qual a quantidade mínima de parâmetros, e quais, que definem uma torra? Exemplo. Supondo que existisse uma máquina super-ultra-automágica de espresso onde se entraria parâmetros para definir "95%" do sabor na xícara. Imagino que bastariam dois, %tds e %ext (proporção água solúveis na xícara e quanto se extraiu do bolo). E um torrador bem automático? Na interface se entraria parâmetros. Quais, no mínimo? Usando sensor apenas nos grãos, talvez RoR e Temperatura de parada (nessa temperatura os grãos seriam despejados para esfriar). Com somente esses dois parâmetros seria um torrador aceitável, definindo "95%" do sabor da torra?
  10. Precisamos de alguém para ser nosso torrador em Salvador-Ba. Não é necessário experiência profissional na área. O fundamental é ser apaixonado por café, como nós. Aprenderemos e nos desenvolveremos juntos na arte e ciência da torra. Pode enviar um email para marcelo@feitoagrao.com.br.
  11. 1ª torra com o Fresh Roast SR 500

    Olá amigos do CDC, em primeiro lugar agradecer a postagem sobre a Coador Dourado e o Café da Fazenda Limoeiro, 100% arábica, peneira 16 acima. Comprei 1kg e chegou ontem, hoje tive a coragem de tentar minha primeira torra, de minha vida e de meu Fresh Roast SR-500. Por não estar ainda com meu termômetro infravermelho, não pude acompanhar a torra pela temperatura, fui no visual e não "por instrumentos", rs. Comecei colocando 9 minutos dos quais os dois primeiros na temperatura baixa e o ventilador na velocidade máxima. Ao chegar em 7 (timer decrescente), ajustei para a temperatura média e velocidade por volta de 65 a 75%, quando atingiu uma cor laranja baixei mais um pouco a velocidade para "meia bomba" 50%, e aguardei o "first crack", ao ouví-lo subi para a temperatura máxima, quase por volta de 3 minutos restavam e aumentei a velocidade do ventilador. e assim foi até que aos 1.2 iniciei o processo de resfriamento, o qual tem auto-off (acredito ter um termostato). Mesmo assim retirei o café do recipiente, que inicialmente eram 4.5 oz = 127.5g , porém pela emoção da primeira torra e com a vontade de esfriá-lo para que o processo fosse interrompido, me esqueci de pesar depois. Prometo fazer na próxima torra (amanhã). Apesar de torra uma quantidade pequena, algo em torno de 130g, dá pra repetir o processo várias vezes já que dura em torno de 9 minutos. Minhas impressões: O reservatório das cascas é insuficiente, deixou algumas cascas caírem, mas nada que os soprões e uma boa peneirada não resolva. A torra me pareceu bem homogênea, os amigos poderão ver na foto que posto abaixo. Tentei ficar numa torra média+ algo em torno do City Roast, City+ Roast. Acredito ter sido relativamente bem sucedido em minha primeira experiência. Infelizmente não deu para medir e traçar a curva e o perfil, prometo postar novamente assim que meu termômetro chegar e eu conseguir aliar a torra, o termômetro, as medições e anotações com o Roastlogger ou outro qualquer. Abraços. Ricardo Petruzza Marília - SP
  12. Olá amigos do CDC, por pressa e por falta de dólares para investir, acabei não optando por Behmor ou Gene, então acabei por escolher o SR500 FreshRoast para iniciar no mundo da torra doméstica. Gostaria se possível que os amigos fizessem comentários sobre o torrador e me sugerissem um café e um perfil de torra para eu iniciar minhas experiências, obrigado. Ricardo Petruzza
  13. Assinatura de café cru

    Olá Pessoal, Já faz tempo que venho tentando viabilizar uma maneira de fazer uma assinatura de café cru para os rockstars da torra doméstica aqui do fórum, e agora que acabei de comprar um torrador de prova e comecei a "brincar" em casa entendo a procura de vocês por excelentes cafés para fazerem a torra do seu jeito. Gostaria de elevar a arte da torra para um nível mais colaborativo e por isso resolvemos enviar da mesma forma que é enviado hoje os cafés do Moka Clube com suas notas e histórias das fazendas e lugares que visitamos a cada hunting, como o café cru é menor que o café em grão torrado nós vamos enviar 300g na mesma embalagem ao invés das 250g usual do clube. A embalagem, caixa e cuidado será o mesmo e espero ainda logo estar enviando o perfil de torra de cada café para podermos começar a compartilhar experiências sobre o assunto aqui no fórum. Caso tenham interesse vocês devem fazer a assinatura normalmente no site http://www.mokaclube.com.br e em seguida me enviar um email no cafe@mokaclube.com.br para que possa configurar essa assinatura especial em sua conta. Obrigado e espero que gostem da ideia.
  14. Como obter uma torra livre de interferencia dos elementos que possam diferenciala na hora de degustar ?
×