Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
faiper

Clube da Electrolux Chef Crema

Recommended Posts

Wagner freitas    175

Obrigado pela informação Leonardo.

 

Sim, esse teste dos 30s fiz com o filtro não pressurizado que comprei com o Alexandre, mas engraçado, repeti o teste agora e deu com o filtro e sem o filtro 100ml em 30s...acho que agora a borrachinha acertou o lugar.

Mas ela não para de gotejar imediatamente desde que peguei ela, é o normal?

 

Agora minha briga é com a tão sonhada crema, sei que aqui mesmo no forum já foi dito que não alteraria o sabor mas eu vejo os outros fazendo espressos com tanta crema que me sinto frustrado, pois comprei o tamper e o filtro não pressurizado pensando em ve-la enchendo meu copinho...rsrs...mas sei que tudo isso será fruto de um longo e prazeroso aprendizado.

 

Quem sabe em Janeiro trazendo a Sylvia e o Vario já começa a ficar tudo mais tranquilo....oh ansiedade...kkk

 

Grande abraço.

 

Wagner

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Caro Wagner,

 

Usando filtro nao pressurizado e sem moinho você dificilmente conseguirá crema. Filtros nao pressurizados pedem ajuste preciso e moagem na hora, caso contrario nada feito.

 

Quanto ao fluxo, ainda acho pouco 100ml para 30 segundos. Tente testar sem porta-filtro, colocando um copo direto embaixo da tela, pode ser? Já o gotejamento por alguns segundos após o fim da extração é normal se for pelo bico do porta-filtro. Se estiver gotejando pela tela, isto é, sem o porta-filtro no lugar então pode haver algo errado.

 

Boa sorte aí. Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

leonardopm, qual seria o fluxo ideal sem porta filtro?

 

Confeço que ainda não brinquei com estes ajustes finos (pelo que vi se faz mexendo no parafuso que fixa o "chuveirinho"), mas inicialmente fiz um teste com a máquina e, se não me engano, ficava algo próximo dos 300ml. Vou testar novamente. Com a chegada do filtro despressurizado agora não posso mais "relaxar" com os detalhes.

 

Falando em chegada, depois posto fotos, mas esta semana chegaram várias coisas: Xícaras e Tamper do Clube, Termômetro da lojinha do clube, Filtro despressurizado da Rancilio, Balança Digital e Café Expresso Brasil comprados com o Alexandre.

 

Ainda não tive tempo de brincar com quase nada, pois a semana foi corrida e hoje passei o dia inteiro fazendo provas, mas estou ansioso para começar a me aventurar nesse novo caminho. De início apenas removi aquele aparato preto que há dentro do porta filtro, pois acho que deve atrapalhar com o filtro despressurizado. Agora vou por à prova o meu Krups GVX.

 

Por fim, foi interessante observar que na verdade os filtros da Crema Silver são maiores do que 58mm, pois nitidamente percebi que o tamper fica meio "folgado" nele. Já no filtro novo o "encaixe" é bem mais "justo".

 

Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Wagner freitas    175

Leonardo

 

Fiz o teste agora, aproveitando que deixei ela pré-aquecendo por uns 20 minutos e saiu não mais que 110ml de água sem o porta-filtro, mas confesso que antes não saia muito mais do que isso apesar de não ter medido como agora, mas como fazia sempre o "flush" antes de encaixa-lo me lembro bem da quantidade, mas amanhã desmonto o chuveiro novamente e vejo se melhora.

 

Será que essa informação do Paulo funcionaria, soltar um pouco o parafuso aumentaria o fluxo? A princípio me vem a idéia da água passar pela rosca do parafuso e não pelos 4 furos dele....

 

Agora vou testar o Café Sul de Minas lavado que o Alexandre me enviou já moído ontem e chegou hoje, mas é o que posso fazer por enquanto, quase comprei um moedor da Cuisinart Grind Central por R$70,00 usado no ML, mas como vou tentar trazer um Vario em Janeiro de Orlando e sabendo que esse não é um bom moedor acho que vou deixar para lá, eu consegui esperer até hoje por um bom espresso não vou gastar a toa só para dizer que estou moendo o café na hora...sei lá....

 

Mas valeu a força de todos.

 

Grande abraço.

 

Wagner

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

Fiz um teste agora a pouco e na realidade está bem longe dos 300ml em 30s, na verdade fica somente 150ml em 30s. Deixei a máquina aquecer um bom tempo enquanto jantava e tirei duas "amostras".

 

Contudo, me pergunto se isso é relevante, pois o importante não é a pressão? Não posso afirmar, mas se a máquina possuir um sistema para controlar a pressão, então esse "baixo" fluxo pode ser normal.

 

Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Wagner freitas    175

Paulo,

 

 

Eu espero sinceramente que não faça diferença, pois entre a minha e a sua já são 50ml...ou 50% de diferença...rsrs

 

Mas penso no seguinte, se em 30s passar uma quantidade de água x (maior) ou y Menor) pelo café, a com x vai ficar mais "aguado" do que o y ou estou enganado?

 

Já que com mesma quantidade de pó, mesma compactação, mesma marca, mesma moagem mas com mais água num mesmo espaço de tempo...

 

Rapaz, e eu achei que só tinha feito uma bela troca de uma guitarra por uma Chef Crema, arrumei foi um universo interessantíssimo, muito bom!!!

 

Abração.

 

Wagner

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

Na verdade até o momento todas as leituras que fiz sobre o assunto indicavam que essa medição era para se ter uma "regulada" de pressão da bomba, ou seja, passar 300ml em 30s corresponderiam a um valor X de pressão. Como bem sabe, a pressão correta para o verdadeiro espresso italiano é 9bar. Depois que aprendi isso desencanei dessas máquinas de "alta pressão", acima dos 15bar inclusive (e acredito que isso muito se deve ao filtro pressurizado).

 

Portanto, até o momento eu entendi que essa "regulagem" não é para se conseguir um nível de vazão, mas sim de pressão. Contudo, não se trata de algo preciso e não há uma correspondência fixa entre todos os modelos de máquinas.

 

Por hora tirei ótimos cafés regulando a moagem para conseguir extrações em 25s. Porem, com filtro despressurizado, acredito que terei que ter mais cuidado com todos os detalhes. Meu entrave é ainda não ter feito nenhum café com os brinquedos novos, mas pela manhã sem falta eu vou testar. Estou com tudo em mãos: moedor, filtro, tamper, balança, termômetro e café bom e novo (pacotinho novo do Espresso Brasil e ainda uma quantia razoável do Sweet Collection do Ateliê do Café).

 

Abraços

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

Bem, vamos as descrições das minhas aventuras matinais :) .

 

1º Shot - Como dizem que a moagem para filtro despressurizado tem que ser bem mais fina e também que o Krups GVX 2 não daria conta, então comecei testando uma moagem bem mais fina do que a que usava com o filtro pressurizado, o que foi o nível 4 do Krups (do mais fino para o mais grosso). Pesei os 14g de pó e utilizei uma boa pressão com o tamper, mas sem "subir" em cima dele :) . Contudo, talvez não tenha sido suficiente, pois nas "batidas laterais" o bolo chegou a "rachar" no meio e tive que fazer uma correção. Chegando aos finalmentes, levou cerca de 1min para extrair os 60ml de café :( (como esqueci de levar o celular com cronometro, então fiquei de olho no ponteiro de um relógio analógico mesmo). Neste shot saiu um pouco de crema, mas sem "preencher" toda superfície da xícara;

 

2º Shot - Devido a diferança enorme de tempo, ajustei a moagem para o nível 6 do Krups (quase certeza, mas talvez tenha sido o 7). O resto do processo foi o mesmo, inclusive com o bolo "rachando". Neste shot foram gastos pouco mais de 30s para extrair os 60ml de café :mellow: , sendo que desta vez saiu uma crema melhor, quase preenchendo toda a superfície da xícara. Confesso que gostei bastante desta crema, pois agora sumiu o efeito espuma e chegou o efeito aveludado :D. Por fim, um fato muito engraçado aconteceu neste shot, ao retirar o porta filtro e filtro do grupo o bolo ficou grudado no grupo :lol: , pena que o tonto esqueceu de tirar uma foto. Foi a primeira vez que vi o bolo se comportando como um "comprimido" gigante após uma extração;

 

3º Shot - Gostaria de ter testado uma moagem um nível mais grossa, mas como sobrou uma quantidade considerável do pó moído para o shot anterior, moí um pouco mais (suficiente para completar a quantidade necessária) e resolvi experimentar uma pressão menor com o tamper. Infelizmente este shot não teve resultado, pois o processo foi abortado no meio do caminho quanto a pressão da máquina "expulsou" o porta filtro do grupo :angry: , foi uma lambança só <_< . Isso aconteceu por que acabei não dando pressão suficiente quando fixei o porta filtro no grupo para compensar um pouco o que aconteceu no shot anterior, mas foi uma grande burrada, é pra nunca mais. Depois de pagar esse mico :ph34r: encerrei as atividades matinais.

 

Agora algumas considerações:

 

1) Para todas as atividades resolvi remover aquela peça plástica que vem dentro do porta filtro, pois me parece que atrapalhará ou não trará nenhum benefício com o uso do filtro despressurizado. Isso acabou se mostrando mais higiênico também;

 

2) Estou com a nítida impressão de que agora estou utilizando bem mais pó de café do que antes para extrair um duplo, mas sem dúvidas que se coloca-se essa quantidade no filtro pressurizado teria que aplicar uma boa pressão para que o pó "descessse" no nível correto para encaixe no grupo;

 

3) Não fui a cobaia do primeiro café de hoje :P , mas provei após a mulher ter adoçado e o gosto estava razoável, porem com características muito diferentes das extrações com filtro pressurizado;

 

4) O gosto do 2º shot me deu uma boa base do que esperar e me animou bastante. Este tomei sem adoçar (afinal de contas era o meu shot) e, conforme suspeitava, o processo com o filtro pressurizado era o responsável por não ter conseguido um "corpo" bom com o Sweet Collection. Este shot produziu um café com corpo bem ao meu agrado, boa consistência e sabor forte, bem do jeito que gosto. O único detalhe é que apresentou um amargor que não é característica do Sweet Collection, mas sim devido ao tempo excessivo para chegar nos 60ml. Ainda assim não senti nenhuma necessidade de adoçar com açúcar. Meus grãos do Sweet Collection já estão no fim e logo logo irei experimentar os da Expresso Brasil e, acredito eu, já terei uma técnica melhor para não desperdiçar do café;

 

5) Devido a estar tendo que chegar em uma moagem até que próxima da que usava para o filtro pressurizado, estou ficando com a impressão de que realmente estou precisando fazer aquele ajuste para adequar a "vazão" de água da máquina.

 

 

Abraços

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Gilberto    5,290

O bolo de vez em quando gruda mesmo, normalmente quando colocamos um pouco mais de pó, ele acaba expandindo e gruda. Com filtro despressurizado, o bolo 95 % das vezes vai sair em forma de pastilha, o que normalmente não acontece com o filtro pressurizado.

Parabéns Paulo, pelos comentários, nunca respondo, mas etou sempre lendo

Share this post


Link to post
Share on other sites
edsonnota100    45

Só por curiosidade olhem esse vídeo é a Chef Crema lá em Taiwan na China muito bacana

 

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Paulo e Wagner,

 

Alguns esclarecimentos:

 

1) Não há como fazer qualquer "ajuste" de pressão ou vazão mexendo no parafuso da tela do chuveiro, ao menos não que eu saiba;

 

2) A vazão em fluxo livre, isto é, sem porta-filtro ou filtros conectados, serve para medir de forma aproximada a pressão que a bomba está gerando, desde que se saiba o modelo de bomba. No caso de vocês eu me precipitei e considerei que seria uma bomba Ulka EP5 ou EX5, que são os modelos que equipam a grande maioria das máquinas domésticas. Mas devo confessar que não sei se a bomba é mesmo uma dessas. Caso seja um fabricante ou modelo diferente a vazão é diferente também e por isso as impressões que eu coloquei no post de nada adiantam.

 

3) Se a bomba for uma Ulka dessas que mencionei acima, um fluxo de 100ml em 30 segundos equivale a 200ml / minuto e isso significa dizer que a bomba estaria submetida a uma pressão de trabalho de 10 bar, o que é praticamente impossível em uma situação de fluxo livre. Mas provavelmente estou errado, pois a chance das duas máquinas de vocês estarem com problemas é muito pequena. O mais provável é que exista algum mecanismo de restrição de fluxo que eu desconheça na máquina.

---------------------------------------------------------------------------------------

Vide post abaixo para detalhes.

 

Abraços.

Edited by leonardopm
Correção
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Fiz uma confusão danada!

 

Vou tentar ser mais claro:

 

6616_pump_profile.jpg

 

 

Esse é o gráfico de vazão x pressão da família de bombas Ulka E5. Vejam que quanto maior a pressão à qual o circuito está submetido menor o fluxo de água / minuto, o que é óbvio, pois quanto maior a restrição ao trabalho da bomba menos água será bombeada.

 

Os extremos desse gráfico dizem muito. Vejam que na situação de fluxo zero a bomba atinge a pressão máxima, que coincide com sua capacidade de trabalho. As Ulkas E5 podem gerar 15 bar nominais, em média (a linha azul representa valor médio) e atinge-se essa pressão máxima quando se restringe o fluxo de saída de água a zero.

 

No outro extremo está a situação de "fluxo-livre", em teoria. Digo teoria porque na prática a pressão de trabalho nunca será zero, já que há a resistência interna das tubulações, válvulas e componentes da máquina. A pressão zero só seria atingida se testássemos a bomba isolada do circuito, mas no caso concreto de uma máquina sempre haverá alguma pressão atuando na tubulação da bomba, ainda que mínima.

 

Portanto, sabemos que na prática não há como chegar a pressão zero, mas sabemos que a vazão em situação de fluxo-livre, de acordo com o gráfico permitirá obter a pressão efetiva no circuito hidráulico (e consequentemente no bolo).

 

Portanto se assumíssemos que em fluxo-livre saem 100ml em 30 segundos, significa dizer 200ml/minuto. Caso fosse uma bomba da família Ulka E5 isso significa que nessa situação o circuito estaria submetido a uma pressão de 10 bar, o que é uma pressão altíssima para uma situação de fluxo-livre, onde não há café nem nada obstruindo o fluxo de água que vem da bomba.

 

Acompanhando a linha azul até os valores de pressão próximos de zero (ou seja, as pressões esperadas para uma situação de fluxo-livre) os números apontam para vazões entre 500ml e 600ml/minuto. Por isso entendo que há algo estranho nessa vazão (sem porta-filtro) de 100ml em 30 segundos.

 

Abraços.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Carneiro    1,197

A válvula de retenção pode causar isso.

 

Com o pouco que testei na Gaggia Evolution, para a válvula de retenção não abrir facilmente com a pressão da caldeira em temperatura de vapor, tenho que rosquear ao menos 1 volta completa. Nessa configuração a máquina forneceu aproximadamente 50ml em 10 segundos.

 

Em algum outro tópico eu até fiz confusão e o Lucas corrigiu, que com uma válvula de retenção há perda de carga. Se é uma válvula comum que abre com mínima pressão, só para não voltar fluxo, não há problemas. Mas as molas dessas domésticas são mais fortes para a válvula também servir de "tampão" quando usamos a caldeira com temperatura alta (~140°C) e portanto pressão alta (provavelmente 2 bar ou mais).

 

Se a bomba já estiver dando menos que seus 13-14 bar no limite, essa perda de carga pode ser ruim para as extrações. Uma opção é deixar a válvula fraquinha e quando for usar o vapor colocar um filtro cego para não se incomodar com o vapor ou água saindo pelo grupo.

 

Abraços,

 

Márcio.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bernardo B    1,933

Só por curiosidade olhem esse vídeo é a Chef Crema lá em Taiwan na China muito bacana

 

 

Abraços

 

Não falo chinês, mas imagino que esta deva ser a versão Taiwanesa daquele video "Como NÃO ser barista"

 

http://forum.clubedo...espanhol-video/

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

A válvula de retenção pode causar isso.

 

Com o pouco que testei na Gaggia Evolution, para a válvula de retenção não abrir facilmente com a pressão da caldeira em temperatura de vapor, tenho que rosquear ao menos 1 volta completa. Nessa configuração a máquina forneceu aproximadamente 50ml em 10 segundos.

 

Em algum outro tópico eu até fiz confusão e o Lucas corrigiu, que com uma válvula de retenção há perda de carga. Se é uma válvula comum que abre com mínima pressão, só para não voltar fluxo, não há problemas. Mas as molas dessas domésticas são mais fortes para a válvula também servir de "tampão" quando usamos a caldeira com temperatura alta (~140°C) e portanto pressão alta (provavelmente 2 bar ou mais).

 

Se a bomba já estiver dando menos que seus 13-14 bar no limite, essa perda de carga pode ser ruim para as extrações. Uma opção é deixar a válvula fraquinha e quando for usar o vapor colocar um filtro cego para não se incomodar com o vapor ou água saindo pelo grupo.

 

Abraços,

 

Márcio.

 

Agora entendi por que que quando uso o vapor pinga uma quantidade razoável de água pelo grupo durante o aquecimento da máquina :o. Quer dizer então que é tanta pressão que já é suficiente para abrir um pouco a válvula de retenção, então este deve ser o momento em que a temperatura chega ao máximo.

 

Quanto ao "ajuste do parafuso" :lol:, imaginava algo nesse sentido, mas não conseguia me explicar. Quanto mais "apertado" o parafuso maior é a pressão sobre a mola e, por isso, maior será a pressão necessária para que a máquina consiga abrir a válvula. Folgando este parafuso então será necessário menos pressão para que a bomba abra a válvula.

 

A partir de agora vem a confusão que se formou na minha cabeça, por favor me ajudem e perdoem as viajadas ;)

 

Sendo o ideal algo em torno de 9bar e estas máquinas especificadas como de 15bar, tenho receio de que seja d+. Por outro lado, este fluxo de 100ml sem porta filtro parece indicar que a bomba está precisando fazer muita força para abrir a válvula e, como consequência, a pressão efetiva sobre o bolo é menor. Apesar de ter sua lógica maluca :wacko:, este raciocínio não me parece correto.

 

Por algum motivo algo me diz que este "recurso" do parafuso contribui para que a pressão de todo o circuito aumente, ou seja, digamos que fossem necessários 10bar para abrir a válvula, então na verdade todo o circuito continuaria em 10bar até chegar no bolo (o restante da pressão "talvez" fosse obtido pelo filtro pressurizado). Obviamente que não faço idéia desses valores, são apenas "chutes". Caso não existisse "resistência" pela válvula, então a pressão no circuito apenas começaria a crescer após encontrar a resistência do bolo e, vencida essa resistência, a pressão seria mantida até o final da extração.

 

Não sei se algum desses raciocínios está correto, mas me preocupo caso o segundo esteja. Digo isso por quê, sem um sistema de controle de pressão, então teria que achar o ponto "na mão", ou seja, ajustando com perfeição extra a moagem e a compactação. Conhecendo a bomba da máquina e a vazão correspondente ao nível de 9bar, então daria para ajustar com o parafuso.

 

Rapaz, espero não ter viajado d+, mas acho que fórum serve para isso também :P

 

Abraços.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Paulo,

 

Diria que com a válvula a pressão demoraria mais para atingir seu valor máximo, pois nesse caso a resistência da válvula funcionaria como se fosse um restritor de fluxo. Já com relação à pressão máxima aí você me deixou na duvida...

 

Com a palavra os especialistas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lucas Faccioni    185
Sendo o ideal algo em torno de 9bar e estas máquinas especificadas como de 15bar, tenho receio de que seja d+. Por outro lado, este fluxo de 100ml sem porta filtro parece indicar que a bomba está precisando fazer muita força para abrir a válvula e, como consequência, a pressão efetiva sobre o bolo é menor. Apesar de ter sua lógica maluca :wacko:, este raciocínio não me parece correto.

Porque não ? Está certinho :) .

Por algum motivo algo me diz que este "recurso" do parafuso contribui para que a pressão de todo o circuito aumente, ou seja, digamos que fossem necessários 10bar para abrir a válvula, então na verdade todo o circuito continuaria em 10bar até chegar no bolo (o restante da pressão "talvez" fosse obtido pelo filtro pressurizado). Obviamente que não faço idéia desses valores, são apenas "chutes". Caso não existisse "resistência" pela válvula, então a pressão no circuito apenas começaria a crescer após encontrar a resistência do bolo e, vencida essa resistência, a pressão seria mantida até o final da extração.

Qualquer restrição ao fluxo gera uma diferença de pressão entre a sua entrada e saída. Porém jamais a pressão depois da restrição será maior que antes. O único componente que tem pressão maior na saída que na entrada é a bomba.

Não sei se algum desses raciocínios está correto, mas me preocupo caso o segundo esteja. Digo isso por quê, sem um sistema de controle de pressão, então teria que achar o ponto "na mão", ou seja, ajustando com perfeição extra a moagem e a compactação. Conhecendo a bomba da máquina e a vazão correspondente ao nível de 9bar, então daria para ajustar com o parafuso.

Nas máquinas sem OPV, é isso que acontece. Quanto mais fina a moagem, maior a restrição ao fluxo pelo bolo. Com isto, a bomba trabalha à mesma potência, mas com um fluxo menor, gerando uma pressão maior, de acordo com o gráfico da bomba.

Com a OPV, se a pressão nela passar de 9 bar, ela abre. O fluxo total (pelo bolo + pela OPV) será o fluxo correspondente a 9 bar de pressão no gráfico da bomba.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal,

Sou novo aqui no fórum, mas já aprecio café espresso há mais de 6 anos, com minha cafeteira chef crema (modelo antigo).

Recentemente ela começou a apresentar um defeito que me impediu de fazer cafés espressos, por isso tive que comprar uma nova cafeteira, também da electrolux, a aroma espresso.

O problema apresentado era o seguinte: sempre que ligava a minha chef crema o motor começava a funcionar (sem dar o tempo de aquecimento normal) jogando a aguá do reservatório direto para a bandeja. Se eu girasse para o ponto de fazer café a água saia pelo orifício do café, mas fria; se eu girasse para o bico de vapor, saia um jato forte de água também fria.

Essa cafeteira está comigo há mais de seis anos e queria saber de vocês, que certamente possuem mais experiência do que eu nessa área, se o problema de minha cafeteira é sério ou se vale a pena levar em uma autorizada.

É bem verdade que já comprei outra, mas tenho apego por essa mais atinga e não queria simplesmente jogá-la no lixo.

Agradeço a ajuda de vocês.

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Tá com cara de válvula solenóide emperrada E pode ser que tenha havido queima da resistência, talvez até mesmo por causa do problema da solenóide, mas difícil dizer assim só pela descrição.

 

Se você quiser algo divertido para passar o tempo nas férias você pode tentar achar as peças na web e fazer disso um hobby. Se for para mandar na assistência, considerando o que a máquina custa eu acredito que cobrarão mais caro que uma nova para consertarem.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Wagner freitas    175

Nas Americanas no dia em que peguei a minha no bolo do negócio da minha guitarra vi uma Chef Crema Silver por R$179,00.....

Share this post


Link to post
Share on other sites
edsonnota100    45

E comprei a minha essa semana paguei exatamente R$161,19 nas Americanas por Boleto Bancário vejam pelo buscapé que da dando desconto quem quiser comprar ainda está na promoção achei muito barato mesmo a ela sempre é mais cara do que a Mondial C-08 mas dessa vez ela ficou mais barata...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Wagner freitas    175

Verdade pelo boleto fica ainda mais barata......e a minha entrou na troca por R$250,00... :angry: .....kkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites
edsonnota100    45

Normalmente ela custa esse preço mesmo por volta de R$230,00....250,00....eu peguei bem em conta mesmo :D

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

 

Porque não ? Está certinho :) .

 

Qualquer restrição ao fluxo gera uma diferença de pressão entre a sua entrada e saída. Porém jamais a pressão depois da restrição será maior que antes. O único componente que tem pressão maior na saída que na entrada é a bomba.

 

Nas máquinas sem OPV, é isso que acontece. Quanto mais fina a moagem, maior a restrição ao fluxo pelo bolo. Com isto, a bomba trabalha à mesma potência, mas com um fluxo menor, gerando uma pressão maior, de acordo com o gráfico da bomba.

Com a OPV, se a pressão nela passar de 9 bar, ela abre. O fluxo total (pelo bolo + pela OPV) será o fluxo correspondente a 9 bar de pressão no gráfico da bomba.

 

Comentei de estar com a idéia de que meu primeiro raciocínio estava incorreto por que fiquei com a impressão de que a pressão na entrada e na saída da restrição seria igual ou com diferença desprezível.

 

De qualquer forma, minha impressão com os primeiros cafés no filtro despressurisazado e que minha maquina esta com pouca pressão efetiva, pois o nível de moagem está muito perto do que eu usava com o filtro pressurizado. Contudo ainda fiz poucas extrações assim, então ainda tenho outras coisas para melhorar antes de chegar a uma conclusão.

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites
edsonnota100    45

Estou vendo que vocês estão falando sobre upgrade que se consegue fazer na Chef Crema legal saber disso porque realmente estou interessado também nesse tipo de alteração em breve vou querer fazer na minha também para apreciar mais ainda o café como todos dizem que muda novamente todo o aprendizado, mas vou primeiro me tornar bom na minha que vai chegar...vou postar o vídeo aqui pra vocês...

Gostaria de comprar um novo Tamper para ela alguém poderia me dizer qual o tamanho correto que eu posso comprar pra ela ??

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulohvs    228

Continuando minha saga com o filtro despressurizado na Crema Silver, ontém comecei a utilizar o grão da Expresso Brasil e ainda estou tendo dificuldades em acertar o tempo correto de extração. Quando estava pesquisando por um moinho muito li de que o Krups GVX 2 não conseguiria moer fino o suficiente para espresso, mas até agora não consegui extrações de 60ml em menos de 30s, sendo que já usei moagem no nível médio do Krups.

 

Pelo que entendo de tudo o que aprendi até agora, não seria normal usar uma moagem igual em filtro pressurizado e despressurizado, correto?. Não usei o café da Expresso Brasil no filtro pressurizado, mas o Sweet Collection foi utilizado nos dois e estava com tendência de acontecer o mesmo.

 

Quanto aos outros aspectos do preparo, dentre outros cuidados, tenho colocado o filtro vazio na balança digital para configurar a tara, pesado 14g de café (praticamente enche o filtro) e aplicado pressão com o tamper que, como resultado final, deixa o bolo bem alinhado com aquela marquinha interna do filtro tendo pouca variação (as vezes bem "em cima" e as vezes um tico abaixo). Quanto a este último aspecto, acho que é bom destacar que o tamper novo tem facilitado muito a vida, pois como a lateral da base é grande (se não me enganho já na medida correta para o efeito que irei descrever), fica fácil de perceber quando o bolo já "desceu" o suficiente quado a parte de cima da base fica alinhada com o topo do filtro.

 

Não posso afirmar, mas parece que meus procedimentos estão corretos ou próximo a isso :P . Contudo, há duas coisas que me deixam com a pulga atrás da orelha e que pretendo "investigar" para ver se consigo um tempo de extração mais correto:

 

1) Pressão da máquina - como a quantidade de pó está sendo medida com precisão e a pressão no tamper me parece adequada, então tenho a impressão de que a máquina pode estar com pouca pressão e, por isso, não extrai os 60ml em 25s como antes. Nas últimas extrações tenho parado o processo em 30s e o volume de bebida tem sido de 50ml para menos. Neste caso acho que cabe verificar aquela história do parafuso, mas ainda estou meio confuso com as "teorias" debatidas nos posts anteriores. Para isso cabe experimentação, mas tenho que ver um bom jeito para conseguir folgar o tal parafuso;

 

2) Quantidade de pó - apesar de estar pesando os 14g, conforme comentei o bolo tem insistido em ficar preso no grupo, algumas vezes junto com o filtro já que a mola do porta filtro não trava o filtro duplo da Rancilio. O Gilberto já havia comentado de que isso é comum, principalmente quando há sobredosagem. Por isso penso em fazer testes reduzindo a dosagem em passos de 1g para ver o que vai dar, já que assim diminuo a restrição. Contudo, o café que está saindo está com ótimo corpo e me parece equilibrado na maioria dos aspectos, mas apresentando amargor que estou atribuindo ao tempo excesivo de extração. Segundo "aquele" tópico, para controlar o amargor a solução seria manter a dosagem e engrossar a moagem, mas como meu tempo de extração não está correto estou achando que a solução para mim não é tão simples.

 

Por hora, esses são os dois pontos principais que consigo pensar. Gostaria da ajuda do pessoal para saber o que atacar primeiro, pois estou querendo minimizar o desperdício de café bom.

 

Falando em café bom, é impressionante a diferença que o filtro despressurizado fez. Acertanto o tempo e retirando o amargor o café vai ficar impressionante, muito melhor do que qualquer outro que já bebi, inclusive bem acima do que estava tirando no filtro pressurizado. Nessas minhas últimas extrações já tem aparecido, inclusive, uma crema boa. Está longe do ideal e daquele "volume chopp", mas tem me agradado muito mais e, mesmo que fina, tem preenchido toda a parte superior da xícara quando sai da máquina.

 

Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Lucas Faccioni    185

Paulo,

 

Dá uma olhada nesta pagina aqui: https://www.sweetmarias.com/library/content/espresso-almighty-crema

O aspecto da crema ajuda a identificar problemas como temperatura mutio alta, moagem, etc.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Alexandre Velloso    2,745

Salve Paulo.

 

Esqueça, por hora, a pressão da máquina. É improvável que seja causa do problema.

Mais provável, pelo que descrevestes, é o acerto de granulometria e compactação.

-" mas até agora não consegui extrações de 60ml em menos de 30s, sendo que já usei moagem no nível médio do Krups" .

Diga em quanto tempo consegues 60 ml, para avaliarmos.

Teu objetivo com o filtro simples para 2 doses, com 14 gramas de pó é ter 50 a 60 ml extraídos entre 25 e 30 segundos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Bruno Goulart    136

Paulo,

mantendo a dosagem e engrossando a moagem você vai conseguir reduzir o tempo de extração,

tenta e ver como se comporta no sabor.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
leonardopm    478

Concordo com o Bruno e o Alexandre.

 

O ajuste a ser feito deve ser pequeno e provavelmente na moagem (já que uma dose de 14g é o mínimo que considero adequado para duplo, não devendo mexer nessa variável por ora).

 

Diga o tempo da extração dos 60ml para termos ideia.

 

E quanto ao nível de moagem ser quase o mesmo da época do filtro pressurizado isso não diz muito. Se o moinho gerar muitos finos durante a moagem ao se compactar o bolo a restrição será grande e pode ocorrer tal efeito. É possível que o Krups esteja gerando bastante finos (e pode até ser a causa do amargor percebido - a confirmar). Esses finos restringem o fluxo e aumentam o tempo de extração.

 

Eu tentaria subir o ajuste da moagem.

 

Abraços.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now


×