Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

Recommended Posts

É o que vem escrito na embalagem do café em grãos do Café do Centro mas quando tomo o expresso sem açúcar não percebo nada de doçura.

Esse café tem o selo gourmet da ABIC 

A embalagem diz ser 100% arábica de origem da Mogiana e do cerrado mineiro ( peneira 17/18 e de torra media ).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jonas Felipe    87

aproveitando: o que é um café “mole”? o Café do Mario também cita isso.


Enviado do meu iPhone usando Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se você pesquisar vai encontrar que " mole " quer dizer " doce " sendo o " estritamente mole " com doçura acentuada.

Mas já bebi ele sem açúcar e nem me pareceu café.

E ainda andei forçando procurando tomar sem açúcar varias vezes seguidas e nada de doce e nem de sabor de café.

Share this post


Link to post
Share on other sites
sergio.m    2,463

Está com cara de ser disgeusia

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Luis Paulo    1,018

@Henrique - RJ, algumas dicas se vc tem intenção de desenvolver sua percepção sensorial dos cafés:

- Quanto maior a concentração da bebida, mais difícil perceber as notas sutis de cada grão. Eu adoro espresso, mas quando é pra avaliar um café e tentar descrever suas notas, eu faço cupping ou coado. Não é atoa que os especialistas avaliam os cafés no cupping com razão de extração próxima de 5%.

- O espresso é de longe o método mais difícil de conseguir o resultado ótimo pro grão, depende muito de equipamento (principalmente moedor) e pequenas variações nos ajustes fazem uma grande diferença no resultado final. Mais outro motivo pra tentar métodos filtrados.

- A percepção de sabores funciona na base de comparações. É fácil perceber a doçura (e outras notas) de um café quando comparado com outros, especialmente ao mesmo tempo. Uma solução barata pra isso que uso muito com visitas não acostumadas com cupping, é um kit de melitta 100. Sempre coloco um pó de café queimado de supermercado pra fazer o contraste e evidenciar as qualidades do especial.

  • Like 10
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 horas atrás, Luis Paulo disse:

@Henrique - RJ, algumas dicas se vc tem intenção de desenvolver sua percepção sensorial dos cafés:

- Quanto maior a concentração da bebida, mais difícil perceber as notas sutis de cada grão. Eu adoro espresso, mas quando é pra avaliar um café e tentar descrever suas notas, eu faço cupping ou coado. Não é atoa que os especialistas avaliam os cafés no cupping com razão de extração próxima de 5%.

- O espresso é de longe o método mais difícil de conseguir o resultado ótimo pro grão, depende muito de equipamento (principalmente moedor) e pequenas variações nos ajustes fazem uma grande diferença no resultado final. Mais outro motivo pra tentar métodos filtrados.

- A percepção de sabores funciona na base de comparações. É fácil perceber a doçura (e outras notas) de um café quando comparado com outros, especialmente ao mesmo tempo. Uma solução barata pra isso que uso muito com visitas não acostumadas com cupping, é um kit de melitta 100. Sempre coloco um pó de café queimado de supermercado pra fazer o contraste e evidenciar as qualidades do especial.

Isso é que é um cabra inteligente ...

Queria ter um filho assim ...

Ainda vou fazer esse teste com um café brabo da padaria.

Quero só perceber essa doçura desse café pra ver se encontro algum sabor especial associado a ele sem usar açúcar em um kit Mellita 100 que tenho aqui.

Se der certo vai ser fantástico.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Carneiro    1,391

Só um adendo...

A classificação oficial brasileira costuma usar, do ruim por melhor: bebida rio zona, rio, riado, dura, apenas mole, mole, estritamente mole.

Após o dura, as descrições costumam ser levemente adocicado, não doce. Veja que essas provas costumam ser feitas com o café torrado bem claro e moído grosso, tradicionalmente, diferente das provas de SCAA e cafés especiais. O intuito da COB é procurar defeitos, uma bebida estritamente mole é aquela realmente sem defeitos perceptíveis, por isso pode ser mais adocicada.

Significa que tipo 2, estritamente mole, vai ser especial? Não! A princípio teria que torrar mais, provar na moagem proposta pelo SCAA, que se propõea classificar o produto final. Se der 80 pontos ou mais, é  especial. Arrisco a dizer que pra um painel de pessoas bem treinadas num processo mais sério, 80 pontos acima significa café realmente bom e pra pessoas pouco calibradas, com viés, a tendência é só a partir de 85 ou mais pontos o café realmente ser excelente.

Corpo e doçura deveriam andar juntos, e no começo é bem difícil sacar as diferenças. Provas diferenciais são fantásticas pois comparando os cafés é que se percebe melhor essas mudanças. No curso da SCAA se faz também provas com água e 3 níveis de doce, ácido e sal. Não é água melada, é sutil...

E como disseram acima, espresso é mais complicado, outros fatores bagunçam tudo. Tente participar de algum encontro com a galera pra provar cafés diferentes em métodos como coado ou cupping.

  • Like 3
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acabei de testar aqui um café comum coado em filtro de papel Melitta e o Café do Centro e só percebi um cheirinho melhor deste último mas no sabor nada, nem de simples café muito menos alguma doçura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now


×