Jump to content
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble
Strawberry Orange Banana Lime Leaf Slate Sky Blueberry Grape Watermelon Chocolate Marble

JoaoW

Senior Members
  • Content count

    248
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    2

Everything posted by JoaoW

  1. Receitas com Bravo mini

    Rs cara minha balança deve estar muito bichada (é uma balancinha meia boca de 20 pila). Na minha moka de três xícaras, com torra clara 16g já fica um montinho; com torra mais escura, um montão. Não consigo imaginar 21g ali rs... Ou então o pó fica mais espalhado, solto com o meu moedor (Handground), sei lá. Compactas o pó?
  2. [VENDIDO] Moedor Bravo Mini

    Com as novas informações do Bravinho, decidi esperar o novo. Mas esse preço do Mini está legal, com dolar nas alturas talvez os novos, quando saírem, fiquem bem mais caros, se não der uma recuada...
  3. Bravo - produtos para café

    Pô @Gilberto, valeu pela resposta. Então pode tirar meu nome da lista do Mini e vou de Micro (ou mini mini rs)!
  4. Oi Fabrício, além da pergunta do tópico, gostaria de saber, por curiosidade, o motivo que estás vendo o Mini...?

  5. [VENDIDO] Moedor Bravo Mini

    Oi @Fabricio R. Oliveira , tens ideia de que tipo de mudança pode ter tido no Mini desde então? Tenho interesse no Mini, teve algum upgrade relevante...? Meu uso seria também para coados, moagens média e média grossa geralmente. Ele vai bem nessa faixa? EDIT: Citei o Fabrício errado antes rs
  6. Bravo - produtos para café

    @Gilberto, o Micro terá capacidade para moer quantos g de grãos de cada vez? Eu não entendo dessas coisas, mas imagino que será preciso dar mais voltas para moer a mesma quantidade que no Mini, não?isso para as moagens médias (média e média grossa).
  7. Bravo - produtos para café

    Eu gostaria de entrar na fila do Mini, saia quando sair.
  8. Aeropress

    Ih @kell_albuquerque , também não estou nessa há muito, mas vais ver que o mergulho é profundo, as práticas e o paladar mudam rapidamente. Em pouco tempo teus conhecidos e família vão olhar estranho pro que estás bebendo, dizer "isso não é café" e daí pra baixo. E vais fugir de tudo que é torra mais escura.
  9. Cafeterias em Uberlândia - MG

    Pô @Jessyca , legal! Valeu a dica. Próxima ida ao shopping vou conferir.
  10. Não achei nenhum tópico listando e comentando as cafeterias aqui do Portal do Cerrado, então vamos lá! Abaixo links (com endereços) de algumas das que conheci aqui e de que gosto e costumo frequentar. Café Calin https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g303400-d8743605-Reviews-Cafe_Calin-Uberlandia_State_of_Minas_Gerais.html https://www.facebook.com/cafecalin/ O Maurício toca esse café, ótimo ponto no Mercado Municipal de Uberlândia. Vale visitar (com frequência) quando for comprar doces de leite, queijos, etc.... Além do espresso, tem outros modos de preparo (V60, prensa francesa...), e segundo o próprio Maurício, seu carro chefe são os doces, todos preparados por ele mesmo... Por ser diabético não posso provar, mas minha mulher e meu filho adoraram... Café D'Casa https://www.facebook.com/cafeteriadcasa/ A Monique e Ana Júlia são responsáveis por essa cafeteria no Fundinho. Lugar super agradável, e elas abriram recentemente outra loja no centro comercial Gávea Business - ainda não fui conhecer. Além do espresso, servem no coado um café autoral com grãos aqui do cerrado, em que elas participaram de decisões do processo de comercialização, torra, etc. Uai Café https://www.facebook.com/uaicafecafeteria/ O Vicente toca o Uai Café, café muito simpático no Bairro Brasil. Também tem vários métodos à disposição, me passou uma receita de aeropress que testei e aprovei. Vitis Café https://www.facebook.com/vitiscafe/ Café localizado na Clínica Vitis, em frente ao Hospital Madrecor, no Santa Mônica. Os donos (conheci a Tatiana) tinham uma cafeteria no shopping Via Centro antes. Além do espresso, um coado feito na hora gostoso. Insomnia Café & Lounge http://insomniacafe.com.br/ https://www.facebook.com/cafe.insomnia/ Um bom café localizado no Center Shopping, shopping mais tradicional de Uberlândia. Além do ambiente agradável, com boa música ambiente e bem tranquilo, tira um bom espresso. Não sou um degustador, não sei diferenciar as várias notas do café, mas sempre foi um café bem gostoso. Mundo Café http://www.mundocafe.com.br/ https://www.facebook.com/mundocafeuberlandia/ Esse ainda não fui conhecer, mas é tão importante aqui que já queria registrar. Não pude ir porque funciona como cafeteria somente no sábado pela manhã, horário que bate com alguns compromissos meus. Mas fornecem insumos e café para boa parte dos estabelecimentos da região, cursos para baristas, etc. Deve ser legal.
  11. E aí pessoal... Estive pensando e testando umas coisas recentemente e gostaria de saber as impressões de vocês, bem como contribuições técnicas, que tenho que certeza que existem rs. Lendo por aí no forum, e também em quase tudo que é blog, site, texto sobre preparo de café, que a moagem e o tempo de infusão estão diretamente relacionados. Isto é, moagem mais fina = menor tempo de infusão, pois tem mais superfície de contato. Moagem mais grossa = maior tempo de infusão, para compensar, do mesmo modo. Até aí tudo bem, faz todo o sentido. Mas nos meus preparos, percebo que não consigo exatamente um resultado equivalente, digamos, com moagem bem fina e 1, 2 min de infusão e moagem média-grossa (bem grossinha até) e 3, 4 min de infusão. Botei uns tempos meio aleatórios, mas o que quero dizer é que já fiz amplas variações, em 30 seg aqui e ali, 1 min, 2 min, moagem fininha, média fina etc e a coisa não é igual. Uso sempre água fervendo (aqui em Uberlândia, é a 97 graus). E com moagem mais grossa e 3 min de infusão ou um pouco mais o café fica bem diferente de moagem fina e tempo curtinho. Uso o Handground, que para moagens médias é bem okzinho (pelo menos é bem melhor que o Hario Mini para essa faixa). Em síntese, minha percepção (paladar) é de que não é bem uma equivalência direta, como se fosse "só isso" entre moagem e tempo de infusão. Ok, "a grosso modo" tem essa relação, mas me parece que tem algumas sutilezas que não é só converter um no outro. Sei lá, eu chutaria que tem algum(ns) solúvel(is) ali do grão que são absorvidos do mesmo modo, e aí o tempo acaba contribuindo de maneira independente da moagem, etc. Mas é só um "chute" para tentar entender isso, não tem base. Sei que é diferente. Vocês percebem algo parecido? EDIT: Especifiquei que o "Mini" a que eu me referia é o Hario Mini (Slim), pois evidentemente não estava falando do Bravo Mini rs
  12. OI @sergio.m , sim, de fato, mas nem estou falando das infusões longonas (depois de um período de testes e experimentações um tempo atrás, acabei perdendo a paciência rs). Estou mais no terreno de infusões de 3 min, máximo 4. Estou meio de cara, mas atualmente estou me dando bem é no terreno das médias / médias grossas e infusões de uns 3 min mesmo; e no V60, a técnica do Kasuya me conquistou (moagem que faço mais grossa também). Os cafés do V60 e da AP estão saindo bem mais redondos... Não consegui isso desse jeito nem com moagem fina e infusão longa, nem com tempo mais curto. É curioso, porque a gente fala muito nos dois extremos da moagem, mas essa coisa da média tem bem menos atenção. Aliás, também é ambíguo né, o que é "média"? Rs de média fina e fina tem muita coisa, mas média grossa e média-média, fica no limbo, e aí tem subjetividades, e dificuldades para reproduzir. Sei é que estou no campo do "meio" da moagem e do tempo e estou curtindo... rs
  13. Grande @Vitor Costa ! É, eu suspeitava que deveria ser algo em relação aos fines. Mas então o que explicaria o sabor diferente (eu estou gostando mais rs), mais docinho, que venho obtendo nas moagens média-média grossa? Uma maior extração dos fines que tiraria mais doçura do grão, "complementando" uma extração menor dos grãos mais grossos? Mas com moagens finas e tempo inferior (ou mesmo o mesmo tempo) não consigo isso, meio que "passa" do ponto, e a doçura não está tanto lá. Mas meu único caminho pra entender, fora a possibilidade de algum solúvel secreto que não dependa tanto da moagem e sim mais do tempo (teoria maluca rs) é na base dos fines mesmo.
  14. Aeropress

    Oi @Rafael Ribeiro Simões, sim, em cima do filtro do Prismo eu boto o de papel.
  15. Aeropress

    E aí @kell_albuquerque , é isso aí, não pinga nada. Aí quando bota o êmbolo para começar a pressão, "desbloqueia" com um barulhinho e vai. Essa parte é muito prática.
  16. Aeropress

    Acho curioso que o marketing do Prismo é todo voltado para esse espresso-like, quando a coisa de evitar a inversão que me parece que é bacana, e na campanha de comunicação deles fica em segundo ou terceiro plano. Foi uma boa ideia que eles tiveram, até me pergunto se a própria Aeropress não deveria ter pensado em algum item "de fábrica" que permitisse fazer o método "standard" sem vazar. Afinal, não creio que alguém goste de ficar invertendo, ou prefira inverter se for garantido que ao fazer o standard não vai vazar, permitindo infusão completa. O método invertido acho que é maneiro só para quem está conhecendo por mostrar algo diferente, fica parecendo que o barista é tipo um barman dos coqueteis, vai lá, vira "uaaaau que negócio louco", mas no dia a dia é uma etapa que exige atenção e se o cara vacilar não dá certo.
  17. [COMPRO] FELLOW PRISMO

    Pra isso o Prismo serve mesmo. E ainda cabe mais um pouquinho de café.
  18. Falar que "não gosto mais" é um pouco forte, sensacionalista... E o assunto do tópico parece coisa do Henrique rs... Mas a situação é real. Como muitos aqui, eu comecei a tomar café a partir do espresso, em cafeterias - no meu caso, italianas mesmo, pois morei um tempo na Itália. E para mim esse era o melhor método de preparo de café, considerava superior etc. Aí foi o percurso tão familiar a tantos aqui: compra um moedor simples (Hario Mini), conhece o Clube do Café, vai conhecendo cafés melhores, vai valorizando torras mais frescas, torras mais claras... Vários métodos, aeropress, prensa, V60... E eis que hoje em dia não só prefiro outros métodos em relação ao espresso, como o próprio espresso também não me agrada mais muito... Como não faço o espresso em casa, deixo para tomar sempre em cafeterias, fora de casa, enfim. E me dei conta esses dias que há um booom tempo, sempre que tomo um espresso penso sempre algo do tipo "hmmm... É isso?" ou "Ok", ou mesmo "Nem devia ter gasto meus cinco reais com isso". E isso em cafeterias com bons grãos também. Claro, há algumas exceções, como os espresso que tomei esses tempos no @Fogo ruivo que estavam muito bons, mas surpreende-me constatar que, hoje em dia, se fosse classificar meus métodos de preparo preferidos, acho que o espresso ficaria lá atrás, talvez à frente do Melittão. Isso é comum entre os demais foristas?
  19. Aeropress

    Oi @Ana Reut voltei aqui porque observei mudança, e tenho que ser justo com o produto. "Do nada" o tal vazamentinho parou. Devia ser algum erro meu no encaixe do Prismo com a AP, sei lá (por mais que tivesse observado com cuidado em mais de uma ocasião). Mas hoje fui mexer com ele (cabe um pouco mais de café nele), olhei, testei, fiz, e normal. Então deve ter sido engano meu. A principal vantagem do Prismo, além de não ter que inverter, é que faz um pouco mais de café. Faz 250g tranquilão, infusão completa. Então se fizer 2x seguidas o processo numa térmica, já tem meio litro de café, uma vantagem considerável, pois invertendo com a AP normalmente, para evitar acidentes, eu faço 200ml de cada vez, resultando em menos de 400 ml de café no fim. Eu só uso com o filtro de papel, filtro de metal na AP não sou muito fã do sabor. Então, se for para comprar, acho que são as principais vantagens. Para mim valeu a pena porque tomo bastante AP e facilita o manejo. Mas não é uma revolução, não. E reiterando, o marketing da espresso-like é pesado mas esse uso do Prismo eu achei meia boca, minha moka dá de 20.
  20. [V60] Técnica 4:6 Tetsu Kasuya

    Ainda brincando com o pó fino, fui testar um lance que eu achava meio mandrake da técnica. O Kasuya diz que, considerando os 40% dos dois primeiros despejos, se fizer o primeiro menor e o segundo maior o café fica mais doce; se for o contrário, enfatiza a acidez. Fiz um café 60g/100g, mais docinho; outro 100g/60g, mais ácido. Nítido. Pior que funciona esse lance. Entrei no Kasuya-team depois dessa, esse japonês é um mago rs
  21. [V60] Técnica 4:6 Tetsu Kasuya

    Eu achei isso, sabor mais completo e complexo. Minha faixa é das moagens média e média grossa em quase todos os métodos, depois vou experimentar com certeza.
  22. [V60] Técnica 4:6 Tetsu Kasuya

    Tenho achado meus V60 meio inconsistentes, sempre fiz algo ou próximo do método do Rao, ou despejo contínuo lentinho, e não tava legal, ou pelo menos estava aquele feeling de "acho que dava para ser melhor". Acabou o grão aqui em casa, e tenho uns Orfeu suave moídos (aliás, finos demais...) comprados por engano por parentes, então até chegarem os grãos novamente (já encomendados com a Roast e com o Fogo rs), estarei me virando com esse Orfeu. Aí pensei, "ah já que meus V60 não estão grandes coisas e esse café aí eu não acerto mesmo, vou no 4/6 do japonês e começo a praticar, não tenho nada a perder mesmo". Isso tudo sabendo que a coisa não daria muito certo porque o café fino demais vai demorar pra "escoar". 400 ml, dos 160 iniciais do "4" fiz com 60 e depois 100, e o resto despejos de 60. Sei que ficou bem melhor que eu esperava, pelo menos. Essa parada tem futuro quando vierem os grãos.
  23. É isso @helderbarreto ! Pegaste na veia, fico feliz que alguém entende o que sinto rs. O espresso é legal, é saboroso, como disse tomei uns bons que me comprovaram isso, às vezes tomo espressos memoráveis também (bem às vezes! rs), mas fui surpreendido pelo sabor que achei nos coados, mais sutilezas... Em outras palavras, mais gostosos rs
  24. Bravo - produtos para café

    Sem pressa, já estou "programando" meu upgrade pro Bravo Mini. Tenho um Handground, de que gosto (bem consistente pras moagens médias, que são a minha faixa), e um Hario Slim, que quebra o galho e tem valor afetivo. Recentemente, numa desenroscada mais rápida, vi que quebrou uma pontinha do copo de acrílico do Slim. Aí olhei pro meu Handground, de vidro e pensei, contemplando a inexorabilidade da vida: "o que é de vidro, cedo ou tarde, quebra". Então, futuramente precisarei de um moedor praticamente indestrutível para evitar desilusões graves. Portanto, já botei uma quantiazinha num fundo de renda fixa em junho, para ficar rendendo, destinada a ser resgatada quando sair o próximo lote do Bravo Mini. No aguardo, pacientemente.
  25. O que você comprou ou recebeu hoje?

    Essas garrafas Stanley são show né... Tenho duas one-hand que uso para fazer os V60, aeropress, coado no pano (esses dois últimos com o auxílio do "funilzinho" da AP"). Muito boa para doses de 400 ml (cabe um pouco menos, mas com a água que fica retida no café, dá pra fazer com 400 ml de água inicialmente).
×